quarta-feira, 1 de abril de 2015

COMO ENCARO A VIDA

Eu só entro em projetos que valham a pena: entro de cabeça, realmente mergulho e me dou pelo que me proponho. Faço o que faço por amor e com amor; só mantenho ao lado quem faz eu me sentir bem e especial.

Pode soar mimado, mas nenhuma pessoa merece perder tempo com quem não corresponde, seja amorosamente, profissionalmente ou em qualquer tipo de relação. A vida é curta: a fé é certeza sem provas... e até então, a vida termina no último suspiro.

Então, qual a essência da vida? Qual seu sentido, seu norte?

Simplesmente ser feliz! Nada em absoluto vale menos do que realização e felicidade - os quais acontecem junto aos nossos queridos, posto que nenhuma pessoa é uma ilha.

E se é assim, por mais que o sistema das coisas nos diga o contrário, é penoso pra alma, pro espírito e pro corpo não sermos felizes, não nos empenharmos naquilo que realmente nos preenche.

Tudo começa no ego (eu); mas sem que esse se torne um ídolo, e sim como base para que nossa felicidade transborde para o mundo.

E assim, nos tornamos humanos, e assim somos plenos. Para isso nascemos.