terça-feira, 13 de maio de 2014

SOBRE EGOS E O MUNDO

Sempre que olho para mim,
Há dias que reluzo,
Que pulo e sorrio;
Em alguns outros me embaço,
Manco, e tenho o olhar baixo...
É o resultado de me ver: sempre há momentos díspares.
Mas, quando olho em torno,
Dou uma pequena olhada, e percebo outro mundo,
Cheio de outros mundos,
E vejo que há anos é tudo sempre igual!
Mudam os métodos e as maneiras,
E tudo parece seguir uma ladeira descendente...
Ontem houve um grito desesperado,
Anteontem cobriram um terreno com concreto...
Hoje eu percebo o caminho,
Amanhã estarei eu nele.
E não importa se o meu mundo vai bem,
Não importa também se o teu mundo vai mal,
No fim todos seremos tragados pelo declive por termos tratado aos outros não como um pedaço de um todo,
Mas erroneamente achado que apenas o eu bastava...