terça-feira, 15 de abril de 2014

FRAGMENTOS DE UM CONTO - Poesia Encomendada

"...E assim ela chegou, adentrou e flertou. Sem muitos dedos, simplesmente olhou e pediu uma poesia.
Acendeu um cigarro, me fitou e baforou. Queria uma poesia.
Eu me esforcei em ler seu olhar, busquei e como lhe enxergar...
Nada!
Me sentia cego naquele instante, pois nada via em seus olhos além do pedido de uma poesia.
Logo eu que não me ajeito com os verbetes em versos e rimas tinha o pedido de uma poesia para atender.
Seu aparente vazio me contagiou. A noite passou e clareou, troquei os passos, maquiei o desbunde e num acesso escrevi.
Ela quis uma poesia. Pois que encontre aqui."