quarta-feira, 5 de março de 2014

TEM QUE SE SABER PERDER...

Para que haja vida, é preciso haver morte. Para que haja saúde é preciso haver dor. Para que haja conhecimento é preciso haver isolamento.
Sempre há troca. Sempre há renúncia.
Nunca pode-se ter ou ser tudo, mas podemos ser plenos naquilo que almejamos.
Não, numa sociedade desigual isso não depende somente do nosso querer, mas o passo primo é sempre nosso.
Se há alvorada, ela foi precedida pelo horizonte oeste avermelhado. E o precede. Então a escolha é:

Viver esperando o Sol se por
Ou
Esperá-lo nascer.

Eu prefiro que ele nasça e com ele as esperanças e alegrias; a energia para outra corrida; a inspiração para outra música; a vitória sobre meu eu.