sábado, 4 de janeiro de 2014

FRAGMENTOS DE UM CONTO - "SÁBADO"

Aí, naquela tarde insossa ele pegou uma garrafa de vermouth branco 
(o paladar não pedia algo amargo como as já habituais cervejas, mas a mente queria se desequilibrar um bocadinho...), 
e bebeu em lentos goles acompanhado de 5 pedras de gelo.
E ficou ali, esperando o tempo passar até a hora marcada.
Não havia nenhum tédio, apenas falta de graça,
Aquele dissabor típico daqueles que têm uma rotina estafante e voltam de férias.
Trocava olhares salientes com aquela parede branca,
Tão insinuante quanto o céu nublado.
Apenas se despiu, e continuou esperando,
Deitado no sofá  de couro sintético, e pensou na hora.
De repente percebeu que começava a se atrasar:
Tomou um banho, chacoalhou os finos fios,
e respirou fundo:
"Afinal", dizia ele, "Talvez realmente a graça não esteja no destino,
E sim no caminho até ele."
Era um pensamento insistente. Não sabia se havia lido em algum blog por aí ou se a própria parede havia sussurrado isso a ele.
Mas que o acalentava quando sentia que começava a sofrer de falta de razão.
E assim foi, e se sentia feliz,
Talvez mais feliz do que aqueles que cruzavam seu caminho,
Sem um horizonte, apenas vagando o caminho que lhes havia sido prescrito.

Seria o trabalho mais uma bula médica receitada por um psiquiatra?

Pensava...