terça-feira, 26 de novembro de 2013

EU CREIO.

Talvez de uma maneira errada, mas eu creio.
Sem provas concretas, sem uma certeza absoluta... Mas eu creio.
Sem ter qualquer dos 5 sentidos excitado por uma provável presença, mas eu creio.
Não creio para buscar uma bênção, eu acho que ela chegou até mim.
Não creio para alcançar coisas a mais, meu trabalho me proporciona isso.
E mesmo quando esqueço que creio, Ele se mantém por perto. Porque eu não sei bem, mas deve ter a ver com um amor que Ele disse ter, de pai, mãe e irmão ao mesmo tempo! E Sua presença, quando lembro dEle, me inspira à paz, à misericórdia, à humildade... Tudo aquilo que eu preciso, enfim. Não como uma troca, imagino, mas como resultado de estar sentado à mesa com Ele, invisível...
...ou bem visível, travestido de gente como eu.
Gente que precisa de misericórdia, de carinho, de paz, de amor, de esperança e fé, para transmitir isso mesmo à outros.

E é mais ou menos assim que creio.