quinta-feira, 3 de outubro de 2013

O CICLO



Na véspera de minha viagem de retorno à São Paulo após um ano em Belém, onde trabalhei bastante e fiz grandes amigos... a tristeza da partida misturada à alegria do retorno... saudades sinto, saudades deixei, e escrevi para me consolar.









No fim de um CICLO, colhem-se os frutos e os que estão podre recebem um fim distante dos que consumimos: viram adubo. Voltam à terra para que mais bons frutos - e mais adubo - possam vir. 

Muitas músicas começam a fazer sentido. Outras perdem totalmente o significado...

Em tudo isso nada fica estático. Relações mudam, pessoas estabelecem novas rotas, um novo foco; elas mesmas mudam...

Planos ficam para trás; a distância separa aqueles que se amam (philos/eros), e a vida com seus encantos (que nos movem) nos traz de volta aquele arquivo com projetos que agora podem ser melhorados pela experiência adquirida - e aqueles que ficaram na estrada a dar adeus, ouvem "Canção da América" tocar ao fundo com um amigo voltando para os encontrar...

Enxergar tudo isso é uma benção. E dividir numa mesma situação o coração em tristeza e alegria é uma loucura da qual não quero escapar!

Durmo pela última vez sob a proteção da Mãe Amazônica, para retornar ao colo da Mãe Atlântica...