quarta-feira, 11 de setembro de 2013

COMO EU GOSTO...!

Eu gosto de uma espiritualidade responsável, madura, onde Deus é Pai: parceiro, amigo, que caminha ao lado, que inspira e ensina, nunca tirando dos filhos a oportunidade de serem responsáveis pelo seu destino, pelas suas escolhas. Certo é que Ele ajuda a transformar maus em bons momentos, mas jamais pode ser o culpado pelo bem ou pelo mal oriundos das escolhas humanas.
O Pai escolheu criar o mundo e se esvaziou para que isso acontecesse, e também para que fosse de coração amado. Nesse vazio, o Pai deu para a criação o Livre Arbítrio, um grande voto de confiança.