sábado, 5 de janeiro de 2013

UMA PISTA...

Estou certo de que a intenção de uma ação a qualifica. Por exemplo, Jesus jogou lama na cara de um homem e o curou da cegueira, e com um beijo Judas o traiu.

O inferno está cheio de boas intenções? Balela! O que vale mesmo é o que de bom ou ruim a pessoa planeja por detrás de cada gesto - e não quero ser como Maquiavel que dizia que "os fins justificam os meios".

Em música costumo dizer que

A nota errada sem querer é erro; a nota errada intencionalmente é ornamento.