quinta-feira, 17 de maio de 2012

NOS OLHOS, NO SORRISO...





Me recordo de ter lido uma entrevista no final dos anos 90 do Sérgio Dias Baptista, guitarrista e vocalista dos Mutantes, onde ele disse ter ido ao cinema assistir o festival de Woodstock. Assistindo à apresentação do Hendrix, ele olhou nos olhos do cara, e quando o Hendrix deu "aquela olhada", ele saiu do cinema na hora, porque, disse ele, "naquele momento entendi de onde vinha a música dele"

Vinha do interior do cara. Vinha do momento em que o mundo passava. Vinha do quanto ele gostava de estar num palco e tocar sua guitarra, e de querer ver o mundo mudar, ver a guerra acabar, viver em paz e tudo o mais no que ele acreditava!

Você acredita no quê, músico? No que você anda pensando, ouvinte? Para criar uma conexão musical não devemos usar somente os ouvidos (que Beethoven o diga) e sim tudo aquilo que faz parte do nosso ser, aquilo tudo que nos forma como pessoas, indivíduos!

Eu tenho postado em algumas redes sociais que creio que um sorriso ainda vai mudar o mundo, e é neste sentido: quando uma pessoa repleta de bem conseguir contaminar outras ao seu redor com apenas um sorriso; e quando as pessoas captarem a essência das outras desta forma também!

Parece difícil, ou papo de louco, porém:

1 - a música é a arte mais abstrata de todas;

2 - só parece difícil porque nós hoje estamos num momento muito "seco" da história humana, onde TER é maior que SER, e mais importante! Então ninguém se educa para subjetividades, nuances sutilezas. Resultado: falta de profundidade!

Resgatar aquilo que o mundo está perdendo em seu caminho pelo desenvolvimento FINANCEIRO: o DESENVOLVIMENTO HUMANO, CULTURAL!



KEEP ROCKIN'!