quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

SANTA CEIA DO SENHOR - Me lancem à fogueira!



Não quero me prolongar...

Não vejo nada de especial nos elementos "pão" e "vinho" na ceia cristã, de qualquer vertente que seja. Nada há de diferente para mim, e sinceramente, não deveria haver para ninguém!

Os cristãos poderiam se ligar na simbologia, no ato.

O corpo é "simbolizado" pelo pão. O corpo de Cristo é a igreja, que faz a vontade do Pai na Terra. O sangue é o Seu sacrifício, que mostrou ao mundo que Ele abria uma nova oportunidade de acesso ao Pai; chega de comprar animais no templo, chega de rituais de purificação. Jesus foi à morte por AMOR, e por AMOR seus discípulos dariam sua vida uns pelos outros, e pelos que não conheciam a pregação de Jesus.

Levando a simbologia às últimas consequências, celebro a memória do Salvador quando, em COMUNHÃO, sento com meus comparsas num boteco, brindo com cerveja e como batata-frita, celebrando A PAZ, O AMOR, A AMIZADE, O COMPANHEIRISMO, A ALEGRIA. Em cada mesa de boteco Deus se faz presente, dá Sua benção e participa da festa, porque sabe que SOMOS PÓ e HUMANOS, DEMASIADAMENTE HUMANOS, bem como seu filho Jesus.

"Uma Bohemia, garçom!"