domingo, 18 de dezembro de 2011

MEU AMOR À BELÉM

Ver-O-Peso, Belém, Pará


Meu Pará lindo! Minha terra que parece minha, 
Corre em minhas veias meu sangue de doce açaí, 
Embora mamãe Sampa tenha me criado;
Mais um pouco longe me manterei de ti!


Mas eis que um dia volto
Para me jogar em tua terra morena
E me fartar de teu tucupi!
Porquê minha alma me impulsiona
A nunca te deixar!


Te amo, minha linda Belém,
Cuide de meus amados por mim!
Que quando tua face minha sola tocar,
Infinitos os dias vão se tornar!


- Kalil Bentes