sábado, 31 de dezembro de 2011

FELIZ 2012!

Uma grande mensagem que eu poderia deixar para todos nós no último dia de 2011 - e que não seria grande se não fosse o melhor que eu poderia fazer:

As experiências que tive em 2011, bem como dos anos anteriores se juntaram para definir a pessoa que sou hoje; se eu quiser saber se o ano foi bom, olharei para mim mesmo, resultado desta equação. E melhor, posso analisar-me a fim de projetar o eu que quero ser daqui a um ano!

Um bom ano novo! Beijo no coração de todos que se dispõem a ler esta minha humilde coluna de frequência publicativa mensurável pela teoria do caos...

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

SANTA CEIA DO SENHOR - Me lancem à fogueira!



Não quero me prolongar...

Não vejo nada de especial nos elementos "pão" e "vinho" na ceia cristã, de qualquer vertente que seja. Nada há de diferente para mim, e sinceramente, não deveria haver para ninguém!

Os cristãos poderiam se ligar na simbologia, no ato.

O corpo é "simbolizado" pelo pão. O corpo de Cristo é a igreja, que faz a vontade do Pai na Terra. O sangue é o Seu sacrifício, que mostrou ao mundo que Ele abria uma nova oportunidade de acesso ao Pai; chega de comprar animais no templo, chega de rituais de purificação. Jesus foi à morte por AMOR, e por AMOR seus discípulos dariam sua vida uns pelos outros, e pelos que não conheciam a pregação de Jesus.

Levando a simbologia às últimas consequências, celebro a memória do Salvador quando, em COMUNHÃO, sento com meus comparsas num boteco, brindo com cerveja e como batata-frita, celebrando A PAZ, O AMOR, A AMIZADE, O COMPANHEIRISMO, A ALEGRIA. Em cada mesa de boteco Deus se faz presente, dá Sua benção e participa da festa, porque sabe que SOMOS PÓ e HUMANOS, DEMASIADAMENTE HUMANOS, bem como seu filho Jesus.

"Uma Bohemia, garçom!"

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

MEU AMOR À MÚSICA

Silvery Lady

É um caminho sem volta
a cada dia que passa mais me apaixono pela arte,
mais sinto que ela pulsa meu coração,
e flui pelas minhas veias;
inunda meus pensamentos,
e me move em todos os sentidos!
É inegável que de tão boa dor
minha alma se enamore;
a arte dos sons me deixa surdo
para o clamor da estupidez de não ouvir.

domingo, 18 de dezembro de 2011

MEU AMOR À BELÉM

Ver-O-Peso, Belém, Pará


Meu Pará lindo! Minha terra que parece minha, 
Corre em minhas veias meu sangue de doce açaí, 
Embora mamãe Sampa tenha me criado;
Mais um pouco longe me manterei de ti!


Mas eis que um dia volto
Para me jogar em tua terra morena
E me fartar de teu tucupi!
Porquê minha alma me impulsiona
A nunca te deixar!


Te amo, minha linda Belém,
Cuide de meus amados por mim!
Que quando tua face minha sola tocar,
Infinitos os dias vão se tornar!


- Kalil Bentes


quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

MÚSICOS E RESPONSABILIDADE

Durante esta manhã, pensando sobre o marasmo musical em que vivemos com estes "artistas" e bandas em eclosão no Brasil, pensei na responsabilidade que alguns artistas do passado poderiam exercer sobre a moçada de hoje. Caras como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Chico Buarque, Moraes Moreira, Pepeu Gomes, poderiam talvez usar de franqueza para denunciar esta falta de paixão e amor que impera no meio musical de hoje, mas preferem ficar acomodados em seus cantinhos à fazer algo para ajudar este povo brasileiro acostumado a comprar qualquer porcaria que lhe seja oferecida nos supermercados, na TV ou na indústria fonográfica.

Gostaria que Elis Regina estivesse viva; talvez ela hoje tivesse gana, força, raça, garra, mais ou menos como sua interpretação de "Maria, Maria" de Milton Nascimento para expor esta fome por dinheiro dos produtores, pasteurizando os "grupelhos" e "cantores" que lotam as rádios e baladas. Gostaria que Renato Russo estivesse vivo, ou a Cássia Eller e Cazuza; eles bem poderia fazer diferente destes outrora porta-vozes da mudança e da juventude que hoje se limitam a ser

"AQUELE GAROTO QUE IA MUDAR O MUNDO 
 E QUE AGORA ASSISTE À TUDO 
 DE CIMA DO MURO!"

domingo, 11 de dezembro de 2011

RELIGIÃO X ESPIRITUALIDADE

"Qualquer doutrina religiosa, ao meu ver, que exista para reinvindicar para si o status de ORTODOXA e não para servir à Deus servindo ao homem, é PROFANA!"

- Kalil Bentes