quarta-feira, 9 de março de 2011

TAL'K-B'OX - How to build a talkbox

Quem já ouviu Peter Frampton, Slash ou Ritchie Sambora, dentre tantos, já ouviu aquele som vocal bacana de suas guitarras em riffs e solos (ouça “It’s My Life” e “Livin’ On a Prayer” de Bon Jovi, “Show Me The Way” de Frampton ou o solo pergunta-e-resposta entre Izzy Stradlin e Slash usando o Talkbox em “Anything Goes” do Guns n’ Roses). Este som é o TALKBOX. Aliás, o próprio Peter Frampton produziu em parceria com uma indústria sua linha de Talkboxes, chamados de “Framptone”.

Decidi montá-lo ao investigar como ele funciona e constatar que não é necessário ser PhD em Mecatrônica(!!!) para montar um: apenas bom senso, prática em soldagem e imaginação. Um Talkbox, basicamente, envia o som de seu instrumento para um auto-falante de médios (“driver de médios” ou “driver de corneta”), e dali, uma mangueira ou tubo transparente de PVC leva o som até sua boca, onde é modulado e capturado por um microfone que, em um show, é plugado no sistema de P.A. da casa.

Ao botar o projeto prá frente, notei que existem 2 maneiras de montar um talkbox: a primeira, usando seu próprio amplificador para enviar o som de sua guitarra para o driver de médios, ou usando um segundo amplificador unicamente dedicado à fazer funcionar o troço. Preferi fazer da primeira maneira, e a explicarei aqui.

MATERIAL UTILIZADO:

- 2 plugues J-10 Stereo;
- 1 jack J-10 Stereo aberto;
- 1 jack J-10 Stereo fechado;
- 4 mts. de um cabo Stereo;
- 1 chave SPDT ou DPDT;
- 1 mangueira ou tubo de PVC de 3mts.;
- 1 driver de médios (de som automotivo, manja???);
- no meu caso, abriguei o troço numa lata de Neston (poutakéoparéooo!)!!!

A primeira coisa foi inserir o jack J10 stereo fechado no amplificador. Eu faria um furo no gabinete, na parte traseira de meu ampli se eu não tivesse achado um furo vazio em sua carcaça, que a fábrica usaria em outro modelo de ampli! Mas se não quiser furar, deixe ele pendurado! O fio negativo deve ser soldado no Sleeve (S – terra) do jack, e daí ser soldado no negativo do auto-falante. O positivo deve ser soldado no Tip1 (T – ponta) e o T2 deve ser soldado no Ring (R), e daí seguir para o auto-falante; com esta ligação, ao inserirmos o plugue que irá para o talkbox o som do auto-falante será cortado, retornando somente ao acionarmos a chave no efeito. Aí é só fixar ou deixar pendurado, como preferir! A questão é puramente estética!

Feito isso, fiz 3 furos na lata: um em cima, para a chave; um no corpo para a saída do tubo, e outro do corpo em oposição ao do tubo, para o jack. O conector S do jack da lata ligue no lado negativo do driver; o T ligue no meio da chave (pole), com um lado (throw A) indo para o driver e o outro (throw B) retornando para o auto-falante pelo R do jack. Insira o driver na lata, conecte o tubo no driver (sem deixar saídas de ar – VEDE BEM!) e feche a lata.

Após isso tudo, será preciso confeccionar o cabo que ligará o talkbox ao auto-falante do amplificador com o cabo stereo e os dois plugues stereo; um dos fios levará o som ao talkbox, e o outro trará de volta ao auto-falante. Pronto, o TAL’K-B’OX® está terminado (reparou nas minhas iniciais?!?!?! Ashuahsuhasu!!!)! Preço Final: em torno de R$120,00. Interessantíssimo, por ser possível comprar aos poucos os “ingredientes do bolo”.

Ah, a segunda maneira, usando um segundo amplificador (de baixa potência) é mais simples: basta desconectar os fios do auto-falante e levá-los à chave, que neste caso, funcionará como um A/B Box, selecionando se o som de seu instrumento vai para um amplificador ou outro!

Se houverem dúvidas sobre este esquema ou como fazer da segunda maneira, críticas, sugestões, interesse em encomendar um ou compartilhamento de idéias, deixem aqui no blog!

KEEP ROCKIN’!