quinta-feira, 24 de março de 2011

PAREI, MANO!

imagem por http://pedacosescritos.blogspot.com/2009/11/mudanca.html


Parei de querer ser santo. Pelo menos, parei de querer ser o santo na concepção geral. Peco prá cacete, e assumi a tarefa de assumir isso!

Parei de querer o instrumentista mais rápido do planeta: entendi as limitações do meu corpo, e entendi que tenho outros talentos!

Parei de tentar parecer intelectualizado. Embora eu tenha interesses em diversos campos do saber, sei que poucas coisas posso de fato fazer bem feito!

Parei de ser tão exigente. Sim, quero sempre ser mais maleável, mais compreensivo, a começar por este garoto que tentou se revestir de homem, e quando finalmente se tornou, descobre e se lambuza do sabor de ser um garoto para sempre!

Hoje, um amigo me disse que "...perfeição é uma palavra bonita para chato!". BINGO!!!

Não espero que alguma pessoa leia isto ou qualquer outra coisa que eu tenha escrito e tome uma atitude parecida - isto não é auto-ajuda, nem alto-ajuda!!! - , mas espero que eu mesmo entenda, a cada dia que passa,

QUE SOU HUMANO, DEMASIADAMENTE HUMANO!

Com isso, parei com esta besteira de me levar tanto à sério, e vou experimentar marcas mais baratas de cerveja, trocar o Immanuel Kant por Maurício de Sousa, escutarei mais Ted Nugent do que Villa-Lobos (isso eu já faço... hahahahaha!!!)...

Mudanças são necessárias, certamente dolorosas... mas já sobrevivemos ao maior dos traumas ao nascer, e poucos anos depois nem nos lembrávamos do acontecido!

Ai, lá vou eu assistir a trilogia Matrix pela 5a. vez!!!