sábado, 14 de novembro de 2009

MUSIC AND ME



- eu, na visão giz-quadro negro de alunos do Fundamental 1




Acontece mais ou menos assim: um aluno entra em contato com a escola de música, que marca um horário comigo para que façamos uma aula experimental. Nos encontramos e começamos a conversar; pergunto sobre sua experiência, e o candidato à meu pupilo me mostra uma bagagem musical adquirida por aulas antes tomadas com um outro professor; me conta que apesar de tocar algumas coisas, não entende muito bem como as coisas funcionam, como os acordes se concatenam, que nota é imediatamente mais aguda que si...

Assim, começo um caminho duro sistematizando os seus conhecimentos, para que haja uma sequência lógica de conhecimento, e com isso ele possa chegar a não depender mais de sáites de cifras nem de professores para lhe passar os acordes de uma música popular, e sim para levá-lo à voos mais altos no mundo da harmonização, rearmonização, improvisação e excução técnica.


por isso quero reforçar a importância não só de estudar com um professor de música, mas um bom professor, que tenha investido muitas horas na aquisição do conhecimento, e que não ensine para ter um troco além dos seus shows, mas por amor, por vocação.

Nos meus 10 anos de carreira musical tenho o privilégio de ter visto muitos alunos se tornarem bons músicos, profissionais ou amadores; tenho visto também aqueles que só encostam num instrumento muito raramente após uma temporada de aulas comigo; mas, o que posso ver em todos, é que pude tocá-los para seguir na mesma estrada que eu: através da arte ser moldado em uma pessoa melhor, mais sensível, consciente e agente multiplicador da inteligência num mundo emburrecedor.

Amo ensinar; seja eu um músico, um pedagogo ou um filósofo, esta é minha glória,

"...lavar os pés dos meus discípulos para que tenham parte comigo, assim como tenho com meu Mestre."