quarta-feira, 17 de junho de 2009

ARCEBISPO DE LONDRINA: POR UMA PRIMAVERA NA IGREJA

publicado no site da revista Ultimato em http://www.ultimato.com.br/?pg=show_artigos&artigo=2369&secMestre=2410&sec=2437&num_edicao=318

Os protestantes devem a Dom Orlando Brandes, arcebispo de Londrina, Paraná, e presidente da Comissão Episcopal para a Vida e a Família, um dos melhores textos sobre a Bíblia publicado na mídia religiosa.

Logo no início, o arcebispo afirma categoricamente que, “por sermos discípulos missionários, precisamos mais da Bíblia que de projetos pastorais”. E acrescenta: “Nosso povo deve ter acesso à Bíblia, formação bíblica, vivência bíblica para que suscitemos um ‘catolicismo bíblico’”. Mais adiante ele dá os seguintes conselhos:

- A meditação da Palavra deve ser diária e não menos de meia hora.
- Vamos proliferar grupos bíblicos para que o povo sacie a fome da Palavra.- [A Palavra] não pode cair por terra. A Palavra deve atrair, comover, converter.
- A Bíblia deve vir antes do catecismo e de outros livros. Nossa catequese deve ser dada com a Bíblia.
- O primado da Palavra irá realizar a primavera da Igreja, porque dará gosto à celebração dos sacramentos e vigor à ação evangelizadora.
- Os ministros da Palavra, os sacerdotes, religiosos e religiosas, leigos e leigas devem estar nas rádios, jornais, esquinas da rua, casas e templos, divulgando as Sagradas Escrituras.Em seguida, o arcebispo apresenta os passos necessários a essa mobilização: ter a Bíblia, saber abrir a Bíblia, saber interpretar, rezar com a Bíblia, estudar as Escrituras, formar grupos bíblicos, dar primado à Palavra, ter ministros da celebração da Palavra bem preparados e transformar o catolicismo devocional e sacramentalizado em “catolicismo bíblico”.Entre as mais felizes declarações sobre a mobilização bíblica proposta pelo arcebispo e que devem ser bem conhecidas, destacam-se:

- Não ignoremos as Escrituras. Basta de analfabetos bíblicos.
- [A leitura orante da Bíblia] é a porta de entrada para um entusiasmo bíblico e a consequente transformação da vida e da realidade.
- A Palavra de Deus, mais precisamente a Bíblia, deve estar na mão de cada criança, de cada jovem, de cada casal, de cada cristão.
- Não podemos ser analfabetos bíblicos, nem tornar rotineira a Palavra viva, fecunda e eficaz. Só podemos ser discípulos com a Bíblia na mão e no coração e os pés na missão. A Igreja será atraente e convincente a partir de uma renovação bíblica; eis que chegou a hora da mobilização bíblica nacional.

(Fonte: “O Lutador”, 11 e 20/11/2008, p. 3)