quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

O PODER DE TRANSFORMAÇÃO DA LEITURA


Este texto é antigo, de 2006. É a minha redação do ENEM daquele ano. Resolvi colocá-lo por ter me rendido 92 pontos naquela avaliação. Eu gosto dele por tratar do diálogo, e contém minhas sugestões para o debate de idéias.
Por Kalil Bentes.

Ler traz à conhecimento coisas que eram veladas; ou à luz temas tidos por obscuros. Traz também facilidade de compreensão aos assuntos que tínhamos somente em mente quando os escrevemos, e nos colocamos à lê-los, submetendo-os assim ao nosso próprio julgamento.

A leitura é o melhor jeito de se aprender algo inicialmente contrário ao que pensamos, pois, ao contrário de um debate falado, não perdemos palavras importantes com o som inconveniente de nossa própria voz; lemos uma sentença inteira e a analisamos antes de lançar nosso argumento contrário, ou uma concordância precipitada.

O hábito constante da leitura tem o poder de, ao mesmo tempo em que o corpo descansa de suas atividades, levar-nos a viver situações, entrarmos em consonância com eventos e pensamentos que nos cercam, e até mesmo a conspirarmos sobre qual seria a melhor opção para a cena de dois parágrafos à frente; nestes momentos um ser humano acostumado a derrubar muros pode optar por qual peso de marreta seria mais adequada ao seu labor.

Temo pelo rumo que minha geração dará às nossas vidas. Temo pelo futuro de um lugar onde as pessoas não costumam mais parar para ler – ler é “baixar a guarda” – poesias onde são colocadas frente à frente com o mais profundo do sentimento humano; críticas de arte, levando em conta assim a opinião de genuínos artistas a respeito de modismos modernos que nada acrescentam, e endurecem a cerviz das pessoas em relação às outras; ensinos que levam à reflexão política, social, profissional, humana e espiritual, não oferecendo apenas auto-ajuda baseada no mais puro e simples “achismo”.

Novamente digo que, ao ler, nos tornamos mais receptivos ao posicionamento do próximo, mais sensíveis às suas necessidades, e mais aptos às tarefas que nos são delegadas.

Uma nação melhor talvez comece por um povo que “se transforme pela renovação de seu entendimento”; a leitura é a chave dessa renovação.

Kalil Bentes