domingo, 27 de dezembro de 2009

SERÁ EXAGERO OU LUCIDEZ?


Poderia ser que se não vivesse tanto,

Dor não sentisse, nem de amor;

Assim também poderia ser que,

Entre todos os afãs me entregasse ao de sobreviver.


Poderia também que quando recrutado,

Preferisse a segurança da deserção;

Vendo homens caindo ao meu lado,

Me rendesse à solidão.


Também haveria de preferir

Ao contrário da incerteza da fé

A segurança da descrença,

Em Deus, nos homens, na volta da maré.


Tudo isso deveria ser a estrada,

Que para trás fica ao lembrar;

Que mal haveria em passar como a justiça,

Pelos caminhos negando-me a visão?


Eu prefiro sentir dor, prefiro de tudo não saber;

Construir, arar, compor... Sujar as mãos!

Correr o risco de que, após se dar à vida,

De a vida mesma transbordar... É muito viver!

Kalil Bentes

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

No caminho, com Maiakovski

Poema de Eduardo Alves da Costa

"Assim como a criança
humildemente afaga
a imagem do herói,
assim me aproximo de ti, Maiakovski.
Não importa o que me possa acontecer
por andar ombro a ombro
com um poeta soviético.
Lendo teus versos,
aprendi a ter coragem.

Tu sabes,
conheces melhor do que eu
a velha história.
Na primeira noite eles se aproximam
e roubam uma flor
do nosso jardim.
E não dizemos nada.
Na segunda noite, já não se escondem:
pisam as flores,
matam nosso cão,
e não dizemos nada.
Até que um dia,
o mais frágil deles
entra sozinho em nossa casa,
rouba-nos a luz, e,
conhecendo o nosso medo,
arranca-nos a voz da garganta.
E já não podemos dizer nada.

Nos dias que correm
a ninguém é dado
repousar a cabeça
alheia ao terror.
Os humildes baixam a cerviz;
e nós, que não temos pacto algum
com os senhores do mundo,
por temor nos calamos.
No silêncio do meu quarto
a ousadia me afogueia as faces
e eu fantasio um levante;
mas amanhã,
diante do juiz,
talvez meus lábios
calem a verdade
como um foco de germes
capaz de me destruir.

Olho ao redor
e o que vejo
e acabo por repetir
são mentiras.
Mal sabe a criança dizer mãe
e a propaganda lhe destrói a consciência.
A mim, quase me arrastam
pela gola do paletó
à porta do templo
e me pedem que aguarde
até que a Democracia
se digne aparecer no balcão.
Mas eu sei,
porque não estou amedrontado
a ponto de cegar, que ela tem uma espada
a lhe espetar as costelas
e o riso que nos mostra
é uma tênue cortina
lançada sobre os arsenais.

Vamos ao campo
e não os vemos ao nosso lado,
no plantio.
Mas ao tempo da colheita
lá estão
e acabam por nos roubar
até o último grão de trigo.
Dizem-nos que de nós emana o poder
mas sempre o temos contra nós.

Dizem-nos que é preciso
defender nossos lares
mas se nos rebelamos contra a opressão
é sobre nós que marcham os soldados.

E por temor eu me calo,
por temor aceito a condição
de falso democrata
e rotulo meus gestos
com a palavra liberdade,
procurando, num sorriso,
esconder minha dor
diante de meus superiores.
Mas dentro de mim,
com a potência de um milhão de vozes,
o coração grita: – MENTIRA!"

publicado originalmente em http://www.urrodoleao.com.br/estudos-0110.htm

sábado, 14 de novembro de 2009

A Música e as Crianças


retirado da página de Tina Carvalho em http://musicando.ning.com/profiles/blogs/a-musica-e-as-criancas - publicação original e créditos ao final.

Vários estudos confirmam a importância que a música tem para o bem estar do bebê, desde quando ele ainda é um feto e está no ventre da mãe. A música traz tranqüilidade para a mãe e para o bebê, introduzindo-o na sensibilização aos sons, desde muito cedo.

Não dá pra imaginar um mundo sem som e se pararmos para analisar, quase todos os sons que ouvimos durante o nosso dia, são como instrumentos musicais tocando alguma melodia: os pingos de uma torneira, os trovões, a chuva, as cigarras cantando lá fora, o arrastar de um chinelo ao andar, as ondas do mar explodindo na praia e tantos outros.

Aliás, eis aqui uma bela forma de ensinar para as crinaças. Com elementos e situações já vivenciadas por elas, podemos colocá-las em contato com todos os tipos de sons e mostrar a elas como o mundo seria esquisito se não tivesse o despertador e o telefone tocando, a música para cantar e até a fala que não teria razão de ser.

Fazer as crianças imitar com a boca, os sons dos objetos e do que está ao seu redor, faz com que ela tenha maior observação sobre o mundo em que vive e a desenvolver desde cedo a sensibilidade para a música.

Este é o princípio de tudo.

A educação musical está fazendo parte da educação das crianças, desde a pré-escola pela importância que a música traz não só como entretenimento, mas no auxílio do aprendizado da fala, como o de aprender a ouvir e na coordenação motora.

A música tem ainda, o dom de aproximar as pessoas. A criança que vive em contato com a música, aprende a conviver melhor com as outras crianças e estabelece um meio de se comunicar muito mais harmonioso do que aquela que é privada da música, em contra partida, quando aprende a tocar algum instrumento, também aprende a ficar sozinha, sem se sentir solitária ou carente de atenção.

A música ainda beneficia na fala, através das músicas infantis como "roda-roda", "o sapo não lava o pé" e outras, onde as sílabas são rimadas e repetitivas, fazendo com que a criança entenda o significado das palavras através dos gestos que se fazem ao cantar. Portanto, a criança se alfabetiza mais rápido.

A idade ideal para aprender um instrumento musical, é a partir dos 5 anos, quando a criança começa a ser alfabetizada.

Os pais não devem jamais impor o aprendizado, nem muito menos escolher o instrumento que a criança deverá tocar. A escolha deve ser sempre da criança, assim como a manifestação na vontade de aprender um intrumento.

Os melhores instrumentos para se iniciar são a flauta e o piano, que não exigem demais da criança, mas antes de tudo, ela tem que gostar do instrumento.

O poder de concentração que a música traz para a criança é um dos grandes benefícios em introduzí-la desde cedo em algum instrumento. Outro fator importante é que a música é pura matemática e certamente aqueles que a estudam desenvolvem maior capacidade de aprendizado nessa matéria.

Conservatório Musical Heitor Villa Lobos, de Santos
Diretora: Maria Conceição Domingues Teixeira
Profªs: Marisa de Campos Monteiro e Alice de Freitas Tabayares Garcia
http://guiadobebe.uol.com.br/bb4a5/a_musica_e_as_criancas.htm
Ilustração de Carla Antunes http://www.carlaantunes.com/Htm/Trabalhos/Trabalhos_p1.htm

MUSIC AND ME



- eu, na visão giz-quadro negro de alunos do Fundamental 1




Acontece mais ou menos assim: um aluno entra em contato com a escola de música, que marca um horário comigo para que façamos uma aula experimental. Nos encontramos e começamos a conversar; pergunto sobre sua experiência, e o candidato à meu pupilo me mostra uma bagagem musical adquirida por aulas antes tomadas com um outro professor; me conta que apesar de tocar algumas coisas, não entende muito bem como as coisas funcionam, como os acordes se concatenam, que nota é imediatamente mais aguda que si...

Assim, começo um caminho duro sistematizando os seus conhecimentos, para que haja uma sequência lógica de conhecimento, e com isso ele possa chegar a não depender mais de sáites de cifras nem de professores para lhe passar os acordes de uma música popular, e sim para levá-lo à voos mais altos no mundo da harmonização, rearmonização, improvisação e excução técnica.


por isso quero reforçar a importância não só de estudar com um professor de música, mas um bom professor, que tenha investido muitas horas na aquisição do conhecimento, e que não ensine para ter um troco além dos seus shows, mas por amor, por vocação.

Nos meus 10 anos de carreira musical tenho o privilégio de ter visto muitos alunos se tornarem bons músicos, profissionais ou amadores; tenho visto também aqueles que só encostam num instrumento muito raramente após uma temporada de aulas comigo; mas, o que posso ver em todos, é que pude tocá-los para seguir na mesma estrada que eu: através da arte ser moldado em uma pessoa melhor, mais sensível, consciente e agente multiplicador da inteligência num mundo emburrecedor.

Amo ensinar; seja eu um músico, um pedagogo ou um filósofo, esta é minha glória,

"...lavar os pés dos meus discípulos para que tenham parte comigo, assim como tenho com meu Mestre."

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

90 ANOS DE EXPERIÊNCIA

recebi por e-mail, e achei bacana, o suficiente para publicar aqui em meu cantinho virtual. Deguste meditando na companhia de um bom capuccino ao final da tarde.

ESCRITO POR REGINA BRETT, 90 ANOS, CLEAVELAND, OHIO.

Para celebrar o envelhecer, uma vez eu escrevi 45 liçoes que a vida me ensinou. É a coluna mais requisitada que eu já escrevi. Meu taxímetro chegou aos 90 em agosto, então, aqui está a coluna, mais uma vez:

1. A vida não é justa, mas ainda é boa.

2. Quando estiver em dúvida, apenas dê o próximo pequeno passo.

3 A vida é muito curta para perdermos tempo odiando alguém.

4. Seu trabalho não vai cuidar de você quando você adoecer. Seus amigos e seus pais vão. Mantenha contato.

5. Pague suas faturas de cartão de crédito todo mês.

6. Você não tem que vencer todo argumento. Concorde para discordar.

7. Chore com alguém. É mais curador do que chorar sozinho.

8. Está tudo bem em ficar bravo com Deus. Ele aguenta.

9. Poupe para a aposentadoria, começando com seu primeiro salário.

10. Quando se trata de chocolate, resistência é em vão.

11. Sele a paz com seu passado, para que ele não estrague seu presente.

12. Está tudo bem em seus filhos te verem chorar.

13. Não compare sua vida com a dos outros. Você não tem idéia do que se trata a jornada deles.

14. Se um relacionamento tem que ser um segredo, você não deveria estar nele.

15 Tudo pode mudar num piscar de olhos; mas não se preocupe, Deus nunca pisca.

16. Respire bem fundo. Isso acalma a mente.

17. Se desfaça de tudo que não é útil, bonito e prazeroso.

18. O que não te mata, realmente te torna mais forte.

19. Nunca é tarde demais para se ter uma infância feliz. Mas a segunda só depende de você e mais ninguém.

20. Quando se trata de ir atrás do que você ama na vida, não aceite "não" como resposta.

21. Acenda velas, coloque os lençóis bonitos, use a lingerie elegante. Não guarde para uma ocasião especial. Hoje é especial.

22. Se prepare bastante; depois, se deixe levar pela maré...

23. Seja excêntrico agora, não espere ficar velho para usar roxo.

24. O órgão sexual mais importante é o cérebro.

25. Ninguém é responsável pela sua felicidade, além de você.

26. Encare cada "chamado" desastre com essas palavras:
Em cinco anos, vai importar?

27. Sempre escolha a vida.

28. Perdoe tudo de todos.

29. O que outras pessoas pensam de você não é da sua conta.

30. O tempo cura quase tudo. Dê tempo.

31. Independentemente de a situação ser boa ou ruim, irá mudar.

32. Não se leve tão a sério. Ninguém mais leva...

33. Acredite em milagres.

34. Deus te ama por causa de quem Ele é, não pelo que vc fez ou deixou de fazer.

35. Não faça auditoria de sua vida. Apareça e faça o melhor dela agora.

36. Envelhecer é melhor do que morrer jovem.

37. Seus filhos só têm uma infância.

38. Tudo o que realmente importa, no final, é que você amou.

39. Vá para a rua todo dia. Milagres estão esperando em todos os lugares.

40. Se todos jogássemos nossos problemas em uma pilha e víssemos os de todo mundo, pegaríamos os nossos de
volta.

41. Inveja é perda de tempo. Você já tem tudo o que precisa.

42. O melhor está por vir.

43. Não importa como vc se sinta, levante, se vista e apareça.

44. Produza.

45. A vida não vem embrulhada em um laço, mas ainda é um presente.

obrigado pelos conselhos.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

From OSCAR WILDE



"A dreamer is one who can only find his way by moonlight,and his punishment is that he sees the dawn before the rest of the world"

(Um sonhador é aquele que só pode encontrar seu caminho, pelo luar, e sua punição é que ele vê o amanhecer antes do resto do mundo)


Quero sempre voltar a sonhar, e construir minha existência a partir dos sonhos sonhados por mim e outros sonhadores. Bela e divina dádiva é retornar ao sonho após acordar! - Kalil Bentes

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

MEU ADEUS À JUSSARA




Esperei 2 semanas para manifestar sobre a perda da Jussarinha; fica aqui meu carinho ao Éder, grande irmão; e registrada a dor que sentimos, junto à esperança de revê-lá em breve.

Na foto, Jussara e a Silvery Lady; grande beijo, Jussara!

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Banda VeeNew

Uma música da qual gosto muito interpretada pela banda VeeNew, a qual integro.

Curtam Proud Mary, de Creedence Clearwater Revival:

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

QUARTETO QUINTA ESSENTIA - FLAUTA DOCE

Este vídeo é deste maravilhoso quarteto de flautas doces, interpretando J.S. Bach Brandemburg concert #4 (Last moviment - Allegro)

Desfrutem!

terça-feira, 22 de setembro de 2009

MUDO, E ME ORGULHO!




“Cogito, ergo sum (penso, logo existo)” – René Descartes

Gosto de analisar o mundo em que estou, e o mundo que sou. Sinto-me feliz fazendo isso, mesmo que a reflexão me leve à negação de velhas fórmulas. Não serei jamais o guardião do conhecimento, nem dono de toda verdade, e jamais endossarei alguém que almeje este rótulo, nem mesmo este rótulo em alguém. Quando converso ou escrevo, expresso opiniões e convicções que estão sujeitas a constante reformulação, afinal, se eu não me expor ao risco de mudar de idéia numa conversa, serei um baita hipócrita, desdizendo as linhas acima.

Assim, me reservo o direito inalienável de expor minha opinião, de defende-la e muda-la quando assim for necessário. Nunca poderei dizer que cheguei à plenitude do conhecimento; somente que por hora encontrei uma maneira mais adequada de me posicionar em relação a determinado assunto – Deus me livre das certezas absolutas! Até mesmo para crer em Deus é necessária a dúvida: a dúvida gera a fé, o crer sem ver. Ter certeza exclui a fé, e sem fé é impossível agradar à Deus...

Tudo aquilo que aqui for escrito está sujeito à revisão; rejeito a arrogância fundamentalista-malmsteeniana-ortodoxa que diz ter resposta para tudo. Posso me alinhar à liberais em determinado assunto e à conservadores em outro. Quer ver?

-UNIÃO CIVIL HOMOSSEXUAL: à favor

-ABORTO: contra (de maneira geral; há exceções)

-PENA DE MORTE: contra

-PORCENTAGEM DE VAGAS MAIOR NAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS PARA ALUNOS DA REDE PÚBLICA: à favor

-TRATAR ÍNDIOS COMO BICHOS, NÃO OS SUJEITANDO NA PRÁTICA ÀS LEIS DO ESTADO E NEGAR-LHES O DESENVOLVIMENTO CULTURAL: contra

-ENSINO DO EVOLUCIONISMO NAS ESCOLAS: à favor

Já fui católico, e hoje sou evangélico (embora eu possa ser mal interpretado ao dizer isto!); já achei que Jazz fosse “a nata”, e hoje vejo isto no Rock n’ Roll; já acreditei até que o PT me representasse...

Reformado e sempre reformando, continuo meu caminho de mutação e aprendizado buscando ser lógico, louco, razoável e espiritualizado.

Mas sim, tudo pode mudar, e este é meu direito. Basta que haja diálogo e análise.

domingo, 20 de setembro de 2009

SÓ VOU PRO CÉU SE FOR OPEN BAR

retirado do PavaBlog: http://pavablog.blogspot.com/2009/08/so-vou-pro-ceu-se-for-open-bar.html

Um dono de boteco, ao morrer, pediu pra São Pedro abrir um estabelecimento no céu.
Os negócios iam de vento em popa. Então pensou:

- Se aqui no céu está indo bem, imagina se eu abro uma filial no inferno? Com aquele calorão todo...

Então marcou uma reunião com o diabo, que logo concordou com a idéia.
Aí o dono do boteco fez um acordo com a Ambev, e mandou descarregar carretas e mais carretas de cerveja para a inauguração do novo bar.

Uma semana depois, amargou um prejuízo imenso. Nenhuma garrafa vendida. Foi reclamar com o capeta, que lhe respondeu:

- Bem feito, seu tonto, ou você não sabia que CRENTE NÃO BEBE CERVEJA?

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

JÁ PERDOEI - Charlie Chaplin



Assim sou eu... mas um gênio escreveu primeiro... hasta la vista, Chaplin!


Já perdoei erros quase imperdoáveis,
tentei substituir pessoas insubstituíveis
e esquecer pessoas inesquecíveis.

Já fiz coisas por impulso,
já me decepcionei com pessoas quando nunca pensei me decepcionar,
mas também decepcionei alguém.

Já abracei pra proteger,
já dei risada quando não podia,
fiz amigos eternos,
amei e fui amado,
mas também já fui rejeitado,
fui amado e não amei.

Já gritei e pulei de tanta felicidade,
já vivi de amor e fiz juras eternas,
"quebrei a cara muitas vezes"!

Já chorei ouvindo música e vendo fotos,
já liguei só para escutar uma voz,
me apaixonei por um sorriso,
já pensei que fosse morrer de tanta saudadee tive medo de perder alguém especial (e acabei perdendo).

Mas vivi, e ainda vivo!
Não passo pela vida…E você também não deveria passar!

Viva!
Bom mesmo é ir à luta com determinação,
abraçar a vida com paixão,
perder com classe
e vencer com ousadia,
porque o mundo pertence a quem se atreve
e a vida é "muito" pra ser insignificante.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

COM A MADRE TERESA NÃO, ‘MÉRRMÃO!!!

Por Kalil Bentes

Certa vez li do teólogo Carlos Osvaldo C. Pinto, em sua análise sobre o livro “A Cabana” de William P. Young (publicado em www.sbpv.org.br), uma alfinetada no pensamento de Madre Teresa de Calcutá e daqueles que a valorizam como cristã autêntica. Ao criticar o trecho do livro que assim diz:

“Os que me amam estão em todos os sistemas que existem. São budistas ou mórmons, batistas ou muçulmanos, democratas, republicanos... Tenho seguidores que foram assassinos e muitos que eram hipócritas. Há banqueiros, jogadores, americanos e iraquianos, judeus e palestinos. Não tenho desejo de torna-los cristãos, mas quero me juntar a eles em seu processo para se transformarem em filhos e filhas do Papai, em meus irmãos e irmãs, em meus amados.” pp.168-169

, fala que não fará nenhum comentário, e deixa que o leitor compare o texto de Young com uma frase da “musa dos neo-evangélicos”, a madre, e diz para seus leitores tirarem suas próprias conclusões:

“Minha missão não é transformar qualquer pessoa em cristão; quero ajudar o hindu a ser o melhor hindu que puder, o muçulmano a ser o melhor muçulmano que puder, o budista a ser o melhor budista que puder, e o cristão a ser o melhor cristão que puder”

Tirei minhas conclusões. Será que a madre deveria se esforçar mesmo em transformar os adeptos de outras crenças em cristãos? Será que a confissão de fé, e o batismo, tornam uma pessoa cristã?

Quando um jovem rico procurou Jesus, e mostrou sua justiça, Jesus o desafiou a vender suas riquezas e repartir entre os pobres; quando lhe perguntaram sobre como herdar a vida eterna, ele lhes contou a parábola do Bom Samaritano, e lhes disse que fizessem o mesmo: amassem o próximo; quando Nicodemos foi bater papo com Ele, Jesus disse que era necessário nascer “do alto”; em Seu sermão profético, afirmou que chamaria Seus discípulos e diria:

“Vinde, benditos de meu Pai... porque tive fome e me destes de comer; tive sede, e me destes de beber; era estrangeiro, e me acolhestes; precisei de roupa, e me vestistes; estive doente, e me visitastes; estava na prisão, e fostes visitar-me... em verdade vos digo que sempre que o fizeste a um destes meus irmãos, ainda dos mais pequeninos, a mim o fizestes.” Mateus 25, 34-40

Nestes exemplos, nota-se que o evangelho é prático, e não confessional; o que conta diante dos olhos de Cristo é a transformação do coração de cada um, e os frutos que a acompanham.

Quando a madre expressou-se daquela forma, nota-se que ela havia entendido bem isto; e em outra frase dela, quando perguntada se não ensinava a bíblia para as pessoas, respondeu que a única página da vida dela que aquelas pessoas analfabetas e doentes podiam ler era sua vida!

Sintetizando:
1- Doutrina sem Frutos do Espírito é morta!
2- Frutos do Espírito sem Doutrina é salvífica!

Estamos adentrando em uma nova era, que alguns estudiosos dizem ser o fim da era de Constantino; nesta nova era, nossa teologia, eclesiologia e missiologia devem ser pensados e repensados para que nossos esforços evangelísticos não sejam proselitistas, e sim, o projeto de espalhar a imagem de Cristo por todo o mundo; chega de colocar paletós nos índios, bíblias ARC na mão de pessoas que mal sabem escrever seu nome, e de abrir templos enquanto crianças, adultos e velhos dormem nas ruas, cheirando cola para matar a fome, e matando para sustentar o vício.

Cristo seguia a Lei ou estava com os pobres? Apedrejava, ou curava o coração sem estima de uma adúltera? Debatia com o teólogo, ou ensinava sobre Seu projeto de gerar pessoas em Deus?

O mundo está de cabeça-para-baixo, e a igreja está sem óleo na lâmpada.

A madre tinha óleo... muitos hindus, budistas, muçulmanos e cristãos devem ter reconhecido a Deus na face daquela senhora, e se quebrantado aos pés dAquele que ela servia botando óleo e vinho sobre suas feridas, e levando para um teto para serem tratados... esta estória é familiar, não?

sábado, 5 de setembro de 2009

CONSIDERAÇÕES SOBRE CERTAS ATITUDES


Por Kalil Bentes

Não sou pastor. Não exerço este cargo eclesiástico em minha comunidade de fé. Nem sei se algum dia o exercerei. Mas desde o dia em que minha esposa e eu nos engajamos na Igreja temos exercido a função pastoral, que nos leva a visitar pessoas, buscar conhecer suas vidas e nos colocar à disposição para que sejamos procurados em caso de necessidade. Isto é natural, não buscamos isso; vem de nossas personalidades, as quais o Senhor conhece e usa, dando-nos um chamado.


Conhecemos muitas pessoas e famílias, diferentes e preciosas, até os dias de hoje. Estivemos diante de pessoas de posses, e pessoas que não tinham nem o alimento do dia garantido. Pessoas elegantes, e pessoas sem a mínima possibilidade de higienizar-se. E pudemos ver em cada uma beleza, pois cada individuo guarda em si a imagem do Deus Altíssimo em sua singularidade.


Tenha sempre a grande certeza de que nunca lucramos nada em cada relacionamento destes que tivemos. Sempre agimos por amor e por gratidão, lembrando-nos de que em algum momento alguém havia feito semelhantes coisas por nós. Mas inconscientemente (mudo agora da terceira pessoa para a primeira) busquei algo dessas pessoas: amizade. Não queria ser o mentor espiritual daquelas pessoas; não queria que elas viessem a mim pedir oração somente, ou ouvir um pouco sobre a bíblia; queria estar com elas, e me sentir querido! Conversar, e sentir que eu também era especial, por ser simplesmente eu.


Mas, enquanto o tempo passava, percebi que não era o que de fato acontecia: sabe aquela “impressão” de que só você é quem telefona? Pois foi o que percebi de muitas destas pessoas. Mas havia exceções...


Uma daquelas pessoas que citei, que não tinha a menor estrutura financeira, foi a que demonstrou maior carinho por nós. Nós a buscamos, acolhemos seus filhos na comunidade, ajudamos como podíamos financeiramente, demos apoio moral, oramos com ela, e a sua resposta foi ótima: levantou-se, conseguiu alguns trabalhos, com os quais pode comprar mantimentos e o que mais é necessário para uma casa. Foi à luta!

Ela passou a conversar com pessoas de sua vizinhança sobre as mudanças que precisavam ser feitas em suas vidas, e tinha algo que a endossava: sua própria transformação.


A partir daí, nossas conversas eram regadas à café-com-leite e bolo em sua casa; quando não nos via por um tempo, arranjava um tempinho e trazia bolo em nossa casa! Quando nossa filhinha foi gerada, até mesmo ganhou roupinhas e brinquedos dela. Que atitude! Nosso coração se aquecia com suas atitudes, que expressavam juntamente com suas palavras gratidão à nós, à comunidade e ao Papai Eterno.


A atitude desta irmãzinha contrasta ricamente com a de outras pessoas que nunca mais nos procuraram, e que em geral, tinham maiores condições, com carro na garagem, filhos em escolas particulares... estas, quando nos ligavam, geralmente era para compartilhar... algum pepino! Hahaha!!! Vinham atrás de nós como se fossemos sacerdotes do Deus Altíssimo, pedindo para que intercedêssemos por eles, e quem sabe Deus se compadeceria deles, e julgasse sua causa, e os tratasse com misericórdia...


O quero dizer é que temos aqui, entre tantas outras coisas, o resultado da pregação evangélica que lota as rádios e televisão, e que vende um deus vassalo, que tem como meta e obrigação satisfazer seus filhos egocêntricos e egoístas, com os pastores/padres como intermediários deste deus, ou melhor, como prestadores de serviços religiosos. Quando o serviço está completo, emite-se a nota, pagam-se as dívidas e vai-se embora. E o relacionamento com Deus e com o próximo que é a meta do evangelho acaba ironicamente excluída do processo.


Claro que o processo de individualização que o mundo sofre, onde o que importa é que os nossos desejos sejam satisfeitos custe o que custar - e o mais rápido que puder – está presente nisto tudo: a globalização se encarregou de trazer esta doença até os confins da terra... mas a igreja não deveria ser o refúgio disto tudo??? SIM!!! Mas tenho visto que muitas pessoas religiosas tem caído neste erro, “♪...vivendo prá si; morrendo por si; mesmo assim achando-se filhos de Deus...♪”. Leonardo Boff fez muito bem em estabelecer a diferença entre religião e espiritualidade em seu livro “Espiritualidade” – Ed. Sextante; em outras palavras (pois acabo de empresta-lo, o que me impede de cita-lo!!!), espiritualidade provoca uma mudança interna; para seguir uma religião não é necessário ter espiritualidade... as duas coisas deveriam andar juntas, mas a espiritualidade não depende da religião. Nem vou comentar o cara que o influenciou diretamente ao escrever o livro sobre o assunto – embora Jesus falasse isto mesmo abertamente; leia e desfrute!


Para que procuro uma religião? Ou um passo além: para que procuro um igreja cristã? Precisamos nos fazer periodicamente esta pergunta. Paulo Brabo comentou em seu blog que deixou de ser dependente de igreja: ele não se sentia abusado por ela, mas sim que a usava para satisfazer suas necessidades de atenção, de “aparecer”, enfim... ele fez a lição de casa, e eu tenho feito isto também. Descobri que meu papel na igreja é o de servir da melhor forma que eu puder. O Espírito nos compara à um organismo vivo, um corpo, do qual Jesus é a cabeça, onde todos tem uma função que complementa a dos demais; alguns tem maior exposição, outros menos, mas com a mesma importância(–cf ICoríntios 12.)!


A Igreja, virgem-mãe imaculada de todos nós, recebe-nos para que sejamos nutridos pela Palavra de Deus, acolhidos, curados, e capacitados a sermos parte dela. A glória do verdadeiro cristão não é de saber obter a benção de Deus, mas a de se dispor a ser ele mesmo uma benção! O que passar disto vem do diabo...


Santidade segundo muitas religiões cristãs significa ser um E.T. na rua, andando com roupas diferentes, lendo somente livros “cristãos”... enquanto que a santidade bíblica é o resultado de não ser alheio aos outros; é ter o coração convertido ao irmão; é não deixar que a sociedade consumista e engessadora determine meu modo de vida e as escolhas que faço. Agora, se existem cristãos que trazem o comportamento mundano para a Igreja e se recusam a muda-lo, ou há algo de errado neles, ou em suas bíblias... será que o mundo venceu a Igreja? Será que Jesus vai passar por mentiroso? O que significa “as portas do inferno não prevalecerão sobre ela” ? Que tal parar um pouco, e refletir sobre estar na igreja e ser Igreja.


Resistirei á tentação de listar o que é mundano e o que é santo; cada um deve exercitar seu senso crítico através da leitura e discussão, e não dar ouvidos á um lunático qualquer sem analisar se o que ele fala tem fundamento, mesmo que seja eu ou o Leonardo Boff, ou até mesmo Arnaldo Jabor na cátedra de “lunático”!


Sabe, é por isso que decidi escrever um blog: não acho que teologia deva ser algo de púlpito ou salas de aula, e sim, da mesa, da roda, do ônibus... enfim, da vida! Queria registrar meus pensamentos e aplicações daquilo que Cristo ensinou e compartilhar, abrir espaço para a discussão. Obrigado, Ravi Zacharias.


“Não se amoldem às estruturas deste mundo, mas transformem-se pela renovação da mente, a fim de distinguir qual é a vontade de Deus: o que é bom, o que é agradável á Ele, o que é perfeito.” Romanos 12, 2 – Edição Pastoral, Paulus.



CONTATO

Para entrar em contato comigo sobre meus textos ou sobre aulas de música, mande um e-mail para:

kalilguitar@hotmail.com

Siga-me no twitter:

www.twitter.com/kalilbentes

Aloha!

terça-feira, 1 de setembro de 2009

UMA AJUDA AO POVO DE MEMÓRIA CURTA - Em quem não votar nas próximas eleiçõs



Antes de fazermos a bobagem de ficar só reclamando, leia a lista abaixo, cumpra com 1% de seu dever de cidadão falando com seus amigos e encorajando-os a não votar nas figurinhas listadas abaixo; é muito fácil reclamar - o difícil é sujar as mãos com trabalho!


1- ABELARDO LUPION Deputado PFL-PR Sonegação Fiscal

2 -ADEMIR PRATES Deputado PDT-MG Falsidade Ideológica

3 -AELTON FREITAS Senador PL-MG Crime de Responsabilidade e Estelionato

4 -AIRTON ROVEDA Deputado PPS-PR Peculato

5 -ALBÉRICO FILHO Deputado PMDB-MA Apropriação Indébita

6 -ALCESTE ALMEIDA Deputado PTB-RR Peculato e Formação de Quadrilha, Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

7 -ALEX CANZIANI Deputado PTB-PR Peculato

8 -ALMEIDA DE JESUS Deputado PL-CE Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

9 -ALMIR MOURA Deputado PFL-RJ Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

10 -AMAURI GASQUES Deputado PL-SP Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

11 -ANDRÉ ZACHAROW Deputado PMDB-PR Improbidade Administrativa

12 -ANÍBAL GOMES Deputado PMDB-CE Improbidade Administrativa

13 -ANTERO PAES DE BARROS Senador PSDB-MT Improbidade Administrativa e Formação de Quadrilha

14 -ANTÔNIO CARLOS PANNUNZIO Deputado PSDB-SP Crime de Responsabilidade

15- ANTÔNIO JOAQUIM Deputado PSDB-MA Improbidade Administrativa

16 -BENEDITO DE LIRA Deputado PP-AL Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

17- BENEDITO DIAS Deputado PP-AP Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

18 -BENJAMIN MARANHÃO Deputado PMDB-PB Crime Eleitoral

19 -BISPO WANDERVAL Deputado PL-SP Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

20 -CABO JÚLIO (JÚLIO CÉSAR GOMES DOS SANTOS) Deputado PMDB-MG Crime Militar, Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

21 -CARLOS ALBERTO LERÉIA Deputado PSDB-GO Lesão Corporal

22 -CELSO RUSSOMANNO Deputado PP-SP Crime Eleitoral, Peculato e Agressão

23 -CHICO DA PRINCESA (FRANCISCO OCTÁVIO BECKERT) Deputado PL-PR Crime Eleitoral

24 -CIRO NOGUEIRA Deputado PP-PI Crime Contra a Ordem Tributária e Prevaricação

25 -CLEONÂNCIO FONSECA Deputado PP-SE Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

26- CLÓVIS FECURY Deputado PFL-MA Crime Contra a Ordem Tributária

27 -CORIALANO SALES Deputado PFL-BA Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

28 -DARCÍSIO PERONDI Deputado PMDB-RS Improbidade Administrativa

29 -DAVI ALCOLUMBRE Deputado PFL-AP Corrupção Ativa

30- DILCEU SPERAFICO Deputado PP-PR Apropriação Indébita

31 -DOUTOR HELENO Deputado PSC-RJ Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

32 -EDSON ANDRINO Deputado PMDB-SC Crime de Responsabilidade

33 -EDUARDO AZEREDO Senador PSDB-MG Improbidade Administrativa

34 -EDUARDO GOMES Deputado PSDB-TO Crime Eleitoral, Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

35 -EDUARDO SEABRA Deputado PTB-AP Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

36 -ELIMAR MÁXIMO DAMASCENO Deputado PRONA-SP Falsidade Ideológica

37 -EDIR DE OLIVEIRA Deputado PTB-RS Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

38- EDNA MACEDO Deputado PTB-SP Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

39- ELAINE COSTA Deputada PTB-RJ Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

40 -ELISEU PADILHA Deputado PMDB-RS Corrupção Passiva

41- ENIVALDO RIBEIRO Deputado PP-PB Crime Contra a Ordem Tributária, Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

42 -ÉRICO RIBEIRO Deputado PP-RS Crime Contra a Ordem Tributária e Apropriação Indébita

43 -FERNANDO ESTIMA Deputado PPS-SP Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

44 -FERNANDO GONÇALVES Deputado PTB-RJ Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

45 -GARIBALDI ALVES Senador PMDB-RN Crime Eleitoral

46 -GIACOBO (FERNANDO LUCIO GIACOBO) Deputado PL-PR Crime Contra a Ordem Tributária e Seqüestro

47 -GONZAGA PATRIOTA Deputado PSDB-PE Apropriação Indébita

48 -GUILHERME MENEZES Deputado PT-BA Improbidade Administrativa

49 -INALDO LEITÃO Deputado PL-PB Crime Contra o Patrimônio, Declaração Falsa de Imposto de Renda

50 -INOCÊNCIO DE OLIVEIRA Deputado PMDB-PE Crime de Escravidão

51- IRAPUAN TEIXEIRA Deputado PP-SP Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

52 -IRIS SIMÕES Deputado PTB-PR Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

53- ITAMAR SERPA Deputado PSDB-RJ Crime Contra o Consumidor, Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

54 -ISAÍAS SILVESTRE Deputado PSB-MG Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

55 -JACKSON BARRETO Deputado PTB-SE Peculato e Improbidade Administrativa

56 -JADER BARBALHO Deputado PMDB-PA Improbidade Administrativa, Peculato, Crime Contra o Sistema Financeiro e Lavagem de Dinheiro

57- JAIME MARTINS Deputado PL-MG Crime Eleitoral

58 -JEFERSON CAMPOS Deputado PTB-SP Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

59- JOÃO BATISTA Deputado PP-SP Falsidade Ideológica, Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

60 -JOÃO CALDAS Deputado PL-AL Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

61 -JOÃO CORREIA Deputado PMDB-AC Declaração Falsa de Imposto de Renda, Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

62 -JOÃO HERRMANN NETO Deputado PDT-SP Apropriação Indébita

63 -JOÃO MAGNO Deputado PT-MG Lavagem de Dinheiro

64 -JOÃO MENDES DE JESUS Deputado PSB-RJ Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

65 -JOÃO PAULO CUNHA Deputado PT-SP Corrupção Passiva, Lavagem de Dinheiro e Peculato

66 -JOÃO RIBEIRO Senador PL-TO Peculato e Crime de Escravidão

67 -JORGE PINHEIRO Deputado PL-DF Crime Ambiental

68 -JOSÉ DIVINO Deputado PRB-RJ Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

69 -JOSÉ JANENE Deputado PP-PR Estelionato, Improbidade Administrativa, Lavagem de Dinheiro, Corrupção Passiva, Formação de Quadrilha, Apropriação Indébita e Crime Eleitoral

70 -JOSÉ LINHARES Deputado PP-CE Improbidade Administrativa

71 -JOSÉ MENTOR Deputado PT-SP Corrupção Passiva

72 -JOSÉ MILITÃO Deputado PTB-MG Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

73 -JOSÉ PRIANTE Deputado PMDB-PA Crime Contra o Sistema Financeiro

74 -JOVAIR ARANTES Deputado PTB-GO Improbidade Administrativa

75 -JOVINO CÂNDIDO Deputado PV-SP Improbidade Administrativa

76 -JÚLIO CÉSAR Deputado PFL-PI Peculato, Formação de Quadrilha, Lavagem de Dinheiro e Falsidade Ideológica

77 -JÚLIO LOPES Deputado PP-RJ Falsidade Ideológica

78 -JÚNIOR BETÃO Deputado PL-AC Declaração Falsa de Imposto de Renda, Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

79 -JUVÊNCIO DA FONSECA Deputado PSDB-MS Improbidade Administrativa

80 -LAURA CARNEIRO Deputada PFL-RJ Improbidade Administrativa e Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

81 -LEONEL PAVAN Senador PSDB-SC Contratação de Serviços Públicos Sem Licitação e Concussão

82 -LIDEU ARAÚJO Deputado PP-SP Crime Eleitoral

83 -LINO ROSSI Deputado PP-MT Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

84 -LÚCIA VÂNIA Senadora PSDB-GO Peculato

85 -LUIZ ANTÔNIO FLEURY Deputado PTB-SP Improbidade Administrativa

86 -LUPÉRCIO RAMOS Deputado PMDB-AM Crime de Aborto

87 -MÃO SANTA Senador PMDB-PI Improbidade Administrativa

88 -MARCELINO FRAGA Deputado PMDB-ES Crime Eleitoral, Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

89 -MARCELO CRIVELA Senador PRB-RJ Crime Contra o Sistema Financeiro e Falsidade Ideológica

90 -MARCELO TEIXEIRA Deputado PSDB-CE Sonegação Fiscal

91 -MÁRCIO REINALDO MOREIRA Deputado PP-MG Crime Ambiental

92 -MARCOS ABRAMO Deputado PP-SP Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

93 -MÁRIO NEGROMONTE Deputado PP-BA Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

94 -MAURÍCIO RABELO Deputado PL-TO Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

95 -NÉLIO DIAS Deputado PP-RN Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

96 -NELSON BORNIER Deputado PMDB-RJ Improbidade Administrativa

97 -NEUTON LIMA Deputado PTB-SP Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

98 -NEY SUASSUNA Senador PMDB-PB Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

99 -NILTON CAPIXABA Deputado PTB-RO Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

100 -OSMÂNIO PEREIRA Deputado PTB-MG Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

101 -OSVALDO REIS Deputado PMDB-TO Apropriação Indébita

102 -PASTOR AMARILDO Deputado PSC-TO Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

103 -PAULO AFONSO Deputado PMDB-SC Peculato, Crime Contra o Sistema Financeiro e Improbidade Administrativa

104 -PAULO BALTAZAR Deputado PSB-RJ Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

105 -PAULO FEIJÓ Deputado PSDB-RJ Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

106 -PAULO JOSÉ GOUVEIA Deputado PL-RS Porte Ilegal de Arma

107 - PAULO LIMA Deputado PMDB-SP Extorsão e Sonegação Fiscal

108 -PAULO MAGALHÃES Deputado PFL-BA Lesão Corporal

109 -PEDRO HENRY Deputado PP-MT Formação de Quadrilha, Lavagem de Dinheiro e Corrupção Passiva, Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

110 -PROFESSOR IRAPUAN Deputado PP-SP Crime Eleitoral

111 -PROFESSOR LUIZINHO Deputado PT-SP Lavagem de Dinheiro

112 -RAIMUNDO SANTOS Deputado PL-PA Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

113 -REGINALDO GERMANO Deputado PP-BA Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

114 -REINALDO BETÃO Deputado PL-RJ Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

115 -REINALDO GRIPP Deputado PL-RJ Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

116 -REMI TRINTA Deputado PL-MA Estelionato e Crime Ambiental

117 -RIBAMAR ALVES Deputado PSB-MA Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

118 -RICARDO BARROS Deputado PP-PR Sonegação Fiscal

119 -RICARTE DE FREITAS Deputado PTB-MT Improbidade Administrativa e Formação de Quadrilha, Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

120 -RODOLFO TOURINHO Senador PFL-BA Gestão Fraudulenta de Instituição Financeira

121 -ROMERO JUCÁ Senador PMDB-RR Improbidade Administrativa

122 -ROMEU QUEIROZ Deputado PTB-MG Corrupção Ativa, Corrupção Passiva e Lavagem de Dinheiro

123 -RONALDO DIMAS Deputado PSDB-TO Crime Eleitoral

124 -SANDRO MABEL Deputado PL-GO Crime Contra a Ordem Tributária

125 -SUELY CAMPOS Deputada PP-RR Crime Eleitoral

126 -TATICO (JOSÉ FUSCALDI CESÍLIO) Deputado PTB-DF Crime Contra a Ordem Tributária, Declaração Falsa de Imposto de Renda e Sonegação Fiscal

127 -TETÉ BEZERRA Deputado PMDB-MT Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

128 -THELMA DE OLIVEIRA Deputada PSDB-MT Improbidade Administrativa e Formação de Quadrilha

129 -VADÃO GOMES Deputado PP-SP Improbidade Administrativa e Crime Contra a Ordem Tributária

130 -VALDIR RAUPP Senador PMDB-RO Peculato, Uso de Documento Falso, Crime Contra o Sistema Financeiro, Crime Eleitoral e Gestão Fraudulenta de Instituição Financeira

131 -VALMIR AMARAL Senador PTB-DF Apropriação Indébita

132 -VANDERLEI ASSIS Deputado PP-SP Crime Eleitoral, Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

133 -VIEIRA REIS Deputado PRB-RJ Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

134 -VITTORIO MEDIOLI Deputado PV-MG Sonegação Fiscal

135 -WANDERVAL SANTOS Deputada PL-SP Corrupção Passiva

136 -WELLINGTON FAGUNDES Deputada PL-MT Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias) 137 -ZÉ GERARDO Deputado PMDB-CE Crime de Responsabilidade

138 -ZELINDA NOVAES Deputada PFL-BA Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

139 -Ângela Guadagnin Deputada PT-SP Dançarina do Plenário da Câmara, comemorando absolvição de corrupto

140 -Antônio Palocci Ex-Ministro PT-SP Quebra de Sigilo Bancário

141 -Carlos Rodrigues Ex-Deputado PL-RJ Bispo Rodrigues

142 -Delúbio Soares Tesoureiro PT-GO Ex Tesoureiro do PT

143 -José Dirceu Ex-Deputado PT-SP Mensalão

144 -José Genoíno Ex-Deputado PT-SP Mensalão, Dólares na Cueca

145 -José Nobre Guimarães DeputadoEst. PT-CE Dólares na Cueca (Agora Candidato a Dep. Federal)

146 -Josias Gomes Deputado PT-BA Mensalão, CPI dos Correios

147 -Luiz Gushiken Ex-Ministro PT-SP CPI dos Correios

148 -Paulo Salim Maluf Ex PPB-SP Corrupção, Falcatruas, Improbidade Administrativa, Desvio de Dinheiro Público, Lavagem de dinheiro

149 -Paulo Pimenta Deputado PT-RS Compra de Votos, Mensalão, CPI Correios

150 -Pedro Corrêa Ex-Deputado PP-PE Cassado em associação ao Escândalo do Mensalão, Compra de Votos

151 -Roberto Brant Deputado PFL-MG Crime Eleitoral, Mensalão, CPI Correios

152 -Roberto Jefferson Ex-Deputado PTB-RJ Mensalão

153 -Severino Cavalcanti Ex-Deputado PP-PE Escândalo do Mensalinho (Renuncio para evitar a cassação)

154 -Silvio Pereira SecretárioPT PT Mensalão

155 -Valdemar Costa Neto Exc-Deputado PL-SP Mensalão (renunciou para evitar a cassação)
Sejamos as mãos de Deus a agir na Terra!!! Abaixo a imbecilidade coletiva alimentada por esta corja!!!
Soli Deo Gloria.

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Igreja ou igreja???

Por Kalil Bentes


Ainda hoje, em 2009, 500 anos após a reforma iniciada por Lutero, é difícil ver alguém definir de um jeito legal a palavra “igreja”. Nós ainda olhamos para prédios com um CNPJ (ou não...), e pensamos se aquela “igreja” é a certa; se “a mão de Deus” ou “o poder de Deus” estão ali... .

Mesmo após nosso grito pela liberdade de ler as escrituras sem o bedelho de ninguém, não fazemos uso dessa liberdade, e nos conformamos a repetir os mesmos credos que os nossos padres, pastores, papas, apóstolos, bispos, e muitas outras cathedras; e a primeira “voz de autoridade” que ouvimos muitas vezes é a de que estamos na igreja certa! Mas, afinal, o que é igreja?

Para responder à isto, gostaria de invocar as palavras de Deus (calma, não é a caixa de pesquisa do Google, que está em todo lugar, tudo sabe, e tudo faz!!!) nas Sagradas Escrituras; quero ler primeiro um pedaço da oração sacerdotal de Jesus no evangelho de São João, Capítulo 17, 20-21:

“Não rogo somente por estes, mas também por aqueles que vierem a crer em mim, por intermédio de Tua palavra; a fim de que todos sejam um; e como és tu, ó Pai, em Mim e Eu em Ti, também sejam eles em Nós; para que o mundo creia que Tu me enviaste” (ARA)

A vontade de Jesus, pela qual pediu ao Pai, é de que aqueles que fossem Seus discípulos vivessem em unidade, em comunhão, em união; e de que, da mesma forma como Ele e o pai são Um, que os discípulos fossem Um Neles. Ele não falou sobre penteados iguais, roupas, vocabulário ou versões das Escrituras; falou em arder em amor pelo Pai, e canalizar este amor em direção às pessoas que nos rodeiam; falou em amar da mesma maneira que o Pai nos amou, pois “ninguém tem amor maior do que este: em dar a sua vida em favor de seus amigos”; falou no que São Paulo trataria de explicar anos depois aos discípulos em Roma; o mesmo Jesus que orou ao Pai, e antes explicou muitas coisas aos onze, falou mais tarde nestas palavras através da retórica de Paulo – Romanos 12, 4-5:

“Porque, assim como num só corpo temos muitos membros, mas nem todos os membros têm a mesma função, assim também nós, conquanto muitos, somos um só corpo em Cristo e membros uns dos outros...”

Um corpo – do qual Jesus é a cabeça - é a metáfora usada por Paulo para explicar o relacionamento vertical (com Deus) e horizontal (com os irmãos) dos cristãos, da Igreja (ecclesia). Estes, que Jesus orou pelo Pai, são “aqueles que vierem a crer em mim”; e esta é a descrição daqueles que são chamados de Igreja, Corpo de Cristo, Salvos...

Crer... eis o requisito; não para fazer parte de uma igreja, mas para ser Igreja (repare nos “is” minúsculo e maiúsculo)! E ser Igreja requer uma transformação no modo de pensar, de sentir e de viver, gerando o chamado Fruto do Espírito. E justamente por se tratar de uma mudança interna, somente Deus pode saber quem é membro da Igreja ou não; Só Cristo conhece o Corpo! Qualquer tentativa nossa de tentar separar quem de fato segue os passos do Homem de Nazaré pode, à princípio, ser fútil; pois qualquer boa ação pode estar carregada de vaidade, orgulho, arrogância e tentativas de auto-salvação; e uma falta de frutos pode esconder uma batalha interna de um coração quebrantado para ser transformado à imagem e semelhança de Jesus.

“A Igreja pode ser encontrada na igreja, mas não só na igreja a Igreja pode ser encontrada”

ou:

“A Igreja está presente em todo o mundo, inclusive dentro das igrejas”

Logo, tenho que ter muito cuidado ao ver um católico apostólico romano com seu terço na mão, ou prostrado diante de uma imagem, bem como um evangélico com sua bíblia fedendo à cecê caminhando para cultuar à Deus em sua denominação. Ou uma pessoa que não freqüenta regularmente uma confissão, apesar de demonstrar seu apreço pelass palavras e vida de Jesus. Deus não aceita a aparência do homem. “O Senhor não vê como vê o homem. O homem vê o exterior, porém o Senhor, o coração” – I Samuel 16, 7

Na próxima vez em que você vir um irmão cometendo pecado, não te esqueça de que você mesmo não passa um dia sem pecar milhares de vezes; evangélico, quando a idolatria católica te impedir de enxergar um católico com amor, como um irmão, lembre-se de que você mesmo tem muitos pecados; católico, quando virdes um evangélico que não se submete à autoridade papal, lembra-te de que você mesmo desobedece ao Pai das almas muitas de vezes, de sol à sol.

Quando formos Um, e encarnarmos Jesus, o filho do carpinteiro, o mundo terá o mais eloquente discurso apologético da fé cristã.


“Para que todos sejam um, como tu, o Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste.”

- João 17, 21

quinta-feira, 2 de julho de 2009

PREDESTINADO À SENHOR DO DESTINO

Por Kalil Bentes

Desde criança venho pensando sobre como é que é esse papo de Deus conhecer o futuro; ficava tentando imaginar como Deus via as pessoas, os animais, enfim, o mundo inteiro caminhando. Lembro-me que o que consegui imaginar foi uma pessoa tomando uma decisão, e Deus conhecendo o leque de possibilidades que se abriam após esta decisão; e imaginei também que Deus já sabia qual era a decisão que eu iria tomar poucos instantes antes, pois havia lido em algum lugar da Bíblia algo como “antes que a palavra me venha à boca, Tu a conheces, Senhor”. Foram as primeiras impressões que tive sobre o assunto.

Hoje, tendo lido diversos pensadores cristãos de diversas vertentes e pensadores ateus, através de livros, sites e blogs, se me perguntarem se creio que Deus não só conhece o futuro, mas que já definiu toda a história desde a fundação do mundo, eu responderei: não! Não há como conciliar amor com controle (Deus não tem amor; Deus é Amor! Amor não é atributo de Deus, e sim Sua natureza.); minha cabeça não consegue imaginar isto, pois são coisas completamente CONTRADITÓRIAS, e se tem algo que Deus não pode ser é incoerente (primeira prova de que algo que o Todo-Poderoso não possa fazer não o diminui). E pelo que tenho visto e lido, não é só em minha cabeça que estas contradições não cabem, mas também nas de inúmeros homens de Deus, católicos, presbiterianos, metodistas, judeus, e de vários pensadores céticos que gostariam de crer.

Sei que ao andar por este caminho, muitos podem me dizer que estou “tirando de Deus” Sua ONIPOTÊNCIA, ONICIÊNCIA E ONIPRESENÇA; mas quero frisar que o ato criativo do Pai fez com que Ele se diminuísse, fosse “menos”, pois Deus antes a criação era tudo; Deus após a criação = Deus – criação; caso contrário, seríamos panteístas, ok??? Deus definitivamente não está na criação (a não ser nos seres humanos... mas já falei sobre isto aqui, ok?!?!). E Deus, que tudo pode, ao abrir mão do controle total sobre Sua criação confirma Sua Onipotência ao invés de nega-la.

Mas é claro que eu não sou teólogo formado, nem filósofo, apesar de ler e pensar bastante sobre tais assuntos; sendo assim, minhas conclusões não precisam ser levadas à sério, e você, caro leitor ortodoxo, pode ficar bravo comigo; mas não fique assim. Se você crê firmemente que Deus já prescreveu cada passo nosso na história, ao escrever este artigo eu estaria apenas andando sobre os trilhos do meu dstino; Deus seria o “culpado” de eu ter registrado estas palavras, e você não poderia questionar Sua sabedoria e vontade soberana que me predestinaram a questionar. Assim sendo, continuamos irmãos,

“e o sangue de Jesus nos purifica de todo pecado” – I João 1, 7.

sexta-feira, 26 de junho de 2009

MICHAEL JACKSON - VIDA ETERNA


Michael Jackson morreu. Seguiu a trilha da vida, e nos deixou órfãos, assim como fizeram outros aos quais nossos corações concedem a imortalidade por seu enorme carisma e talento (GONE TOO SOON).


Ele foi um dos responsáveis por meu estreito relacionamento com a música. Quando eu era pequeno, meu pai costumava por os LP’s de MJ e mostrar para seus amigos como eu cantava no tom, com boa pronúncia e de repente abaixava o volume enquanto eu continuava cantando, e voltava a aumentar para exibir que seu filhão não perdia o tempo da música!


Cantei demais junto ao Michael, e como a arte imita a vida (que imita a arte), saía falando para os valentões da escola caírem fora (BEAT IT), sonhava em conhecer uma menina doida, com a qual viria à me casar (Elô, você é minha BILLIE JEAN!!!), e comecei a prestar muita atenção no modo como as pessoa agiam e se relacionavam (HUMAN NATURE).


Cresci um pouquinho, e dançando ao som do Michael, quis fazer o gênero menino-mau (who’s BAD???) para as menininhaas prestarem atenção; me emocionei nas paixões da adolescência cantando I JUST CAN’T STOP LOVING YOU; e por vezes levei foras quando as garotas diziam que éramos apenas bons amigos (JUST GOOD FRIENDS). Tudo isso me levava por vezes à um retiro voluntário, quando eu pedia para o mundo me deixar em paz (LEAVE ME ALONE)!!!


Continuei minha jornada de crescimento cada vez mais interessado nas pessoas e em música, e com Michael comecei a ser intolerante com a discriminação racial, social, religiosa ou qualquer outra com BLACK OR WHITE; vibrava ao assistir Magic Johnson ou Michael Jordan com suas enterradas (JAM) e a cada dia me tornava uma pessoa saudosista, admiradora da arte de décadas passadas (REMEMBER THE TIME), querendo saber como poderia ajudar o mundo a ser um lugar melhor (HEAL THE WORLD).


Minha verve rockeira já aflorava muito, e apaixonado por guitarras distorcidas, ouvi Michael e Slash em duo na inesquecível GIVE IN TO ME – assim como havia feito com Eddie Van Halen anteriormente em BEAT IT!!!

Mas agora, o que acontece? Tenho mais um motivo para o saudosismo que está incrustado em minha carne como um espinho, olhando para o futuro; ohei para a capa de BAD e perguntei: “Você estará lá? (WILL YOU BE THERE?)”. Com certeza Michael estará lá... assim como esteve em cada etapa de minha vida, com suas canções, coreografia, imagem e problemas; todos nós nos sentiremos abraçados pela arte de Michael, e na solitude não nos sentiremos sozinhos (YOU’RE NOT ALONE), pois Deus nos fez seres humanos assim para que cada um de nós fosse Sua bendita cura, companhia, abrigo e calor para os outros.


Enquanto Michael Jackson viver, haverá sangue (vida) nos palcos e pistas de dança (BLOOD ON THE DANCE FLOOR); todos nós dançaremos (ROCK WITH YOU) e seguiremos a vida com música e paixão (MUSIC AND ME), pois Deus me fez assim: saudosista.


Se você pudesse ouvir, Michael, eu te agradeceria: MUITO OBRIGADO!!! Mas como não podes, farei o melhor que eu puder; I’LL BE THERE.


Obrigado pela companhia, Michael.


Muito Obrigado.


Até breve.


“If you wanna make the world a better place, take a look at yourself, an then make a change” – Michael Jackson, “Man in the Mirror”

quarta-feira, 17 de junho de 2009

ARCEBISPO DE LONDRINA: POR UMA PRIMAVERA NA IGREJA

publicado no site da revista Ultimato em http://www.ultimato.com.br/?pg=show_artigos&artigo=2369&secMestre=2410&sec=2437&num_edicao=318

Os protestantes devem a Dom Orlando Brandes, arcebispo de Londrina, Paraná, e presidente da Comissão Episcopal para a Vida e a Família, um dos melhores textos sobre a Bíblia publicado na mídia religiosa.

Logo no início, o arcebispo afirma categoricamente que, “por sermos discípulos missionários, precisamos mais da Bíblia que de projetos pastorais”. E acrescenta: “Nosso povo deve ter acesso à Bíblia, formação bíblica, vivência bíblica para que suscitemos um ‘catolicismo bíblico’”. Mais adiante ele dá os seguintes conselhos:

- A meditação da Palavra deve ser diária e não menos de meia hora.
- Vamos proliferar grupos bíblicos para que o povo sacie a fome da Palavra.- [A Palavra] não pode cair por terra. A Palavra deve atrair, comover, converter.
- A Bíblia deve vir antes do catecismo e de outros livros. Nossa catequese deve ser dada com a Bíblia.
- O primado da Palavra irá realizar a primavera da Igreja, porque dará gosto à celebração dos sacramentos e vigor à ação evangelizadora.
- Os ministros da Palavra, os sacerdotes, religiosos e religiosas, leigos e leigas devem estar nas rádios, jornais, esquinas da rua, casas e templos, divulgando as Sagradas Escrituras.Em seguida, o arcebispo apresenta os passos necessários a essa mobilização: ter a Bíblia, saber abrir a Bíblia, saber interpretar, rezar com a Bíblia, estudar as Escrituras, formar grupos bíblicos, dar primado à Palavra, ter ministros da celebração da Palavra bem preparados e transformar o catolicismo devocional e sacramentalizado em “catolicismo bíblico”.Entre as mais felizes declarações sobre a mobilização bíblica proposta pelo arcebispo e que devem ser bem conhecidas, destacam-se:

- Não ignoremos as Escrituras. Basta de analfabetos bíblicos.
- [A leitura orante da Bíblia] é a porta de entrada para um entusiasmo bíblico e a consequente transformação da vida e da realidade.
- A Palavra de Deus, mais precisamente a Bíblia, deve estar na mão de cada criança, de cada jovem, de cada casal, de cada cristão.
- Não podemos ser analfabetos bíblicos, nem tornar rotineira a Palavra viva, fecunda e eficaz. Só podemos ser discípulos com a Bíblia na mão e no coração e os pés na missão. A Igreja será atraente e convincente a partir de uma renovação bíblica; eis que chegou a hora da mobilização bíblica nacional.

(Fonte: “O Lutador”, 11 e 20/11/2008, p. 3)

quarta-feira, 10 de junho de 2009

CENSURA??? Comentando Marcelo Rubens Paiva!!!



Por Kalil Bentes

Quem me conhece, sabe que um grande marco na minha vida foi ter lido "Feliz Ano Velho" de Marcelo Rubens Paiva aos 10 anos de idade, em casa. Tive contato com sua biografia, e tomei gosto pela leitura desde então.





Visitei o blog do Marcelo Paiva, e entre outras coisas, li seu texto "Essa Censura Que Não Acaba". Quero somente deixar meu comentário.





Caro Marcelo, não tenho a pretensão de me "trampulinar" sobre teu nome; amo teu estilo de escrever, mas há sim quem decida o que os filhos podem ter acesso ou não: os pais. Ultra-Liberalismo ou Conservadorismo nunca levaram o mundo à local algum, somente produziram desgrigolamento de diversas culturas.


Apesar de ser cristão, não me enquadro naquilo que entendes (ou as pessoas de um modo geral) por cristão assistindo televisão, ouvindo rádios ou passando em frente à um templo barulhento; creio na liberdade como algo que vem de Deus, e como Sua própria imagem (Imago Dei) no homem.





Não só tenho o dever, mas o direito de ensinar à minha filha o que é certo e errado, dependendo das circunstâncias e locais onde ela se encontre. Como professor do Fundamental 1, não posso ir além daquilo que ofenderia a cultura, religião ou que merda for (olha a merda aêêê, geeente!!!) das famílias dos alunos.





O que proponho? Que tenhamos moderação, e que usemos de nossa liberdade para gerar vida e responsabilidade.





No mais, te admiro, e sou leitor do teu blog!!! Um grande abraço, cara!!!





BIIIIIIIIIINNNNNNN

quarta-feira, 1 de abril de 2009

SOBRE A ESPIRITUALIDADE CRISTÃ DOS TEMPLOS




Faço parte de uma confissão evangélica na cidade de São Paulo. Já fui engajado na Renovação Carismática Católica. Durante meus 10 anos de caminhada notei que sempre que eu amadureci em relação à fé, isto era fruto direto dos questionamentos que se levantavam em minha mente e do caminho que eu percorria tentando responde-los. Dentre tantas coisas, me via sempre tentando responder à questão: “A espiritualidade cristã depende de freqüência ao templo?”. Foi uma caminhada bem gostosa até que eu chegasse onde estou hoje em relação à pergunta. Não, não creio que minha atual mentalidade seja a definitiva, mas também não duvido se for...

Durante a história narrada na Bíblia, vejo que Deus se relaciona com as pessoas de uma maneira, até que elas mudem os modos desse relacionamento. Por exemplo, lemos que Deus se comunicava de uma maneira muito íntima com Adão e Eva, até que eles se rebelam e se escondem de Deus; Adão atrás de Eva, e Eva atrás da Serpente. Acaba-se a cumplicidade! Mas com o passar do tempo, após a tragédia envolvendo Caim e Abel, outro filho nasce ao casal, Sete, que gera Enos; este volta à invocar Yahweh. E daí para frente, à todos aqueles que chamam pelo Pai recebem Sua resposta: Noé, Abraão, Isaac, Jacó, José... até que em Moisés é estabelecido pela primeira vez após o êxodo do Egito um local para se dirigir a Deus: o tabernáculo.

E qual o problema disto? É que os hebreus não entenderam como Deus queria habitar no meio deles; Deus queria estar entre eles. Mas eles só conseguiam enxergar a divindade através da ótica dos egípcios ou dos povos da Mesopotâmia: deus lá exige; eu cá obedeço; deus lá abençoa; eu cá me borro todo... e este pensamento continua nos tempos de Davi, que a despeito da intimidade que gozava com o Senhor, insiste em lhe construir um templo – os outros deuses o têm, por que não o Senhor???

Daí em diante, somente alguns heróis entendem que Deus é Espírito, não uma estátua que pode ser enclausurada em um altar, e colocam seus corações perto ao do Pai, a despeito do local (mas ainda prestando certa reverência ao templo, diga-se de passagem...). Até que o Verbo se fez carne...

Aí esculhambou de vez: Deus, que eu agora à pouco disse não poder ser contido em um templo, se enclausura em um corpo humano nascido de mulher! Pois é, quanta sede em estar com os homens! Se Maomé não vai à montanha... Os judeus não engoliram muito bem este papo de Deus-Homem que Jesus pregava, e ainda se revoltaram quando Ele disse que destruiria o templo e o refaria em três dias. Jesus se referia à seu corpo; era como se dissesse: “Ok, vocês crêem estar Deus no templo; então eu digo que morrerei, e após minha ressurreição as pessoas entenderam que Deus não pode ser contido num templo feito por mãos humanas, mas pode habitar em um feito por ele mesmo.”

Na festa do pentecostes logo após a ressurreição e ascensão de Jesus, a mentalidade é encarnada: o Pai e Jesus vêm pelo Espírito Santo habitar nos discípulos; simplificando, Deus muda seu endereço do Céu para os homens (valeu, Kivitz!). Aí, os discípulos finalmente passam à testemunhar sobre Jesus; como Lucas diz no início do livro de Atos dos Apóstolos, Jesus continua a fazer e a ensinar, de dentro para fora. Espalham o evangelho, ajudam-se mutuamente, e passam a amar seus opositores. Adoram ao Pai, mas não em Samaria no monte Gerizim, nem em Jerusalém no monte Sião, mas adoram ao Seu corpo, a Igreja, pelo qual São Paulo luta e intercede juntando donativos para o suprir enquanto passava fome em Jerusalém!

Assim, o Evangelho se espalha pelo Império Romano. Cristãos são jogados na arena do coliseu com os leões; não recebem o livramento de Daniel na cova da Babilônia, mas pelos relatos históricos, nem se passava pela cabeça destes nobres em pedir isto, pois é uma honra morrer pela cruz.

Aí, cerca de 300 anos depois o império vira cristão por decreto; são construídos templos como os dos pagãos e idólatras, e a cristandade passa a adorar à Deus dentro destes prédios novamente; as pessoas que não aceitam a mensagem destes “discípulos” sofrem barbaridades e perseguições. A Reforma mudou bastante coisa, mas se esqueceu de ensinar mais profundamente sobre onde se deveria adorar.

Onde está Deus nisto tudo? Dentro do templo! De qual? Do único no qual Ele quis habitar: mulheres e homens que são mortos de diversas formas dia à dia por proclamar a mensagem do Evangelho. Enquanto isso, “discípulos” se acotovelam pelos horários e canais para seus programas televisivos, cada qual com um monte diferente pelo e para adorar...

“Elevo os olhos para os montes: de onde me virá o socorro? O meu socorro vem do Senhor, que fez o céu e a terra” – Salmo 121, 1-2

segunda-feira, 30 de março de 2009

O BRASIL DOS BRASILEIROS


Texto do pastor da Igreja Betesda de São Paulo, postado em seu blog: http://www.ricardogondim.com.br/Artigos/artigos.info.asp?tp=65&sg=0&id=2152

Por RICARDO GONDIM.

Apenas negro e pobre passam mais de quinze dias na cadeia.

Delegado sofre perseguição dos tribunais enquanto os acusados desaparecem do noticiário.

Gado, milagre divino e sucessivos prêmios na loteria explicam a dinheirama de quem ficou rico e não quer explicar a fortuna.

Escândalo político esvazia o anterior que, de repente, parece menor.

Polícia atira antes de perguntar, principalmente, nas favelas.

Bancos publicam lucros inéditos no planeta.

Caixa dois de campanha política é comum, com subsídio de empreiteiras espalhado por todos os partidos.

Pontes, estradas, viadutos e passarelas acabam custando até dez vezes mais que o orçamento inicial. Sobram leis, impostos, fiscais, taxas, sobretaxas, mais impostos, para esfolar o cidadão.

Salário mais benefícios de parlamentar pagam dezenas (em alguns municípios, centenas) de professores.

Traseiro feminino chama-se patrimônio.

Filho de corrupto estiloso posa de playboy.

Tiroteio com “bala perdida”, se não matar, perde o status de notícia.

Só se considera chacina, a eliminação sumária de mais de meia dúzia.

Homicida sentenciado pela morte de uma moça jornalista aguarda em liberdade o julgamento de todos os recursos da defesa, e com isso já se vão quase dez anos.

Charlatanismo, o exercício ilegal da medicina, é prática comum nos programas evangélicos de televisão, mas nenhum pastor-curandeiro foi para o xilindró.

Presidente da República compra a extensão do seu mandato, o vendedor tem os direitos políticos cassados, mas não acontece nada com o Primeiro Mandatário.

Hospitais públicos tratam a patuléia sem um mínimo de dignidade. Anciãos morrem nos corredores, crianças são infectadas nos berçários e faltam remédios para o tratamento do câncer, mas que importa? O Ronaldão fez gol e o feriadão está chegando.

Brazilzilzilzilllll... !

Soli Deo Gloria

segunda-feira, 23 de março de 2009

O LADO NEFASTO DA RELIGIÃO - pt.2


"A Volta do Filho Pródigo" - Pintura de Rembrandt, em sua visão do acolhimento que o Pai nos proporciona, e o qual devemos oferecer como cristãos .


Há um homem que conheci que frequentou uma confissão religiosa (Este negócio de chamar instituições religiosas de igrejas não é comigo...). Depois de haver se afastado de uma congregação na qual ele havia se decepcionado, resolveu com sua esposa ficar "de molho" um pouquinho, colocando as idéias no lugar, em casa.

Um pouco depois, este queridão conheceu uma outra congregação onde sentiu que o estudo era levado à sério, e, conversando com sua amada, resolver ir com ela e seus dois filhinhos participar das reuniões para conhecer a comunidade. A princípio, gostaram, e resolveram se engajar.

O tempo passa, e quando este casal de amigos consegue se sentir em casa novamente, vão a cada dia que passa sentindo algo estranho no ar; parece que muitos rostos em determinados momentos os olham com um certo desdém. Tentam seguir a caminhada, e pelo que me disseram, orando para que não seja nada demais.

Mas o que não poderia acontece: alguns membros desta comunidade de fé têm preconceito, e resistem em aceitar aquele bonito casal em seu meio. Ficam sabendo pelos códigos corporais e por outros irmãos que perceberam que um lugar que deveria ser o reduto da acolhida, compreensão, integração e convivência pluralista estava praticando hipócritamente a segregação social.

Conversando com este amigo, ele me revelou seu coração sangrento em tristeza pelo o que vem acontecendo, pois a segregação é velada, feita de maneira nefasta por "debaixo dos panos", mas que nunca iria retribuir de uma maneira igual ou pior; ele me disse que orava para Deus o fortalecer, pois gostaria de, como cristão, ter a alegria de dar, sem se importar muito com o que estava recebendo; disse que não abandonaria a comunidade - por hora - pois ele diz que ele deve ser a mão de Deus a acolher mesmo aqueles que o desprezaram; queria agir não como o jovem filho pródigo, nem seu endurecido irmão mais velho, mas como o Pai que acolhe a ambos.

Vi sua dor, mas vi sua esperança; o amor que vem de Deus, e que espera poder agir de maneira muito mais nobre do que aqueles que um dia acharam que sua esposa, filhos e ele mesmo valiam menos como pessoas por serem batalhadores de sol-a-sol, com todas as dificuldades em suas finanças.

Pedi à ele licença de publicar um pouco de sua história, sob a condição de que de maneira alguma citaria sua congregação nem seu nome. E gostaria eu de comentar um detalhe: é de se esperar que uma pessoa que passe por injustiça seja mais tolerante com o próximo, ok??? Tenham em mente que aqueles que praticaram (e ainda praticam!) essa barbárie são pessoas que já foram muito molestadas em São paulo: nordestinos e negros.

Senhor Jesus, nos dê a benção de crescer à Tua imagem e semelhança tal qual este pequenino Teu; toca o coração dqueles que o fecharam, e os ajude à entender que eles perdem por se afastarem dessa família que de fato busca fazer Tua vontade, e a perceberem que maldade tão grande é esta que machuca Teu coração: escandalizar Teus pequeninos. Tem misericórdia de nós, Senhor, e nos conduza à Tua face... no irmão... onde mais poderia estar???
Em Teu nome, Papai,
Amém.

sexta-feira, 13 de março de 2009

A VOLTA DE CRISTO SOMOS NÓS - por PAULO BRABO

Publicado no site da IBAB - http://www.ibab.com.br/ed090308.html , é do Paulo Brabo, um blogueiro que muito admiro. Para refletir. Ao som de "Going Where the Wind Blows" do Mr. Big.

A encarnação do Filho, em sua atordoante exuberância, aparentemente não bastara para um Deus suficientemente ambicioso. A divindade provera para si, através do precedente de Jesus, uma segunda e definitiva encarnação, efetuada pelo derramamento profuso da consciência universal de Cristo sobre os que eram tocados por ele. Deus revelava finalmente seu plano: um Filho singular não lhe bastava; seu projeto era ter uma multidão de Filhos, uma comunidade vertiginosa e viva de conspiradores forjados segundo o molde revolucionário da mente de Cristo.

E, quando acontece, acontece sobre todos sem exceção, homens e mulheres, velhos e adolescentes. O texto enfatiza continuamente esta unanimidade pelo uso acumulado das expressões “todo”, “todos” e “cada um”. Nisto, na verdade, está a singularidade da coisa toda: nesta perfeitamente cavalheiresca abrangência de generosidade, sem precedentes e sem sucessores na história de todos os cultos. Em todas as tradições, o sobrenatural é de algum modo seletivo; o que acontece no dia de Pentecostes, em seu generoso abraço, é sobre-sobrenatural.

Que o evento está colocado no relato de modo a contrastar com a recente votação orquestrada por Pedro não deve haver nenhuma dúvida. Pois a iniciativa de Pedro é, no fim das contas, elitista e institucional; o derramamento do espírito é universal e democrático (para não dizer socialista ou, ainda melhor, anárquico).

A votação de Pedro, de iniciativa humana, é delimitadora, fazendo apenas confirmar e legitimar as categorias pré-estabelecidas; o derramar do Pentecostes, de iniciativa de Cristo, é igualitário, dissolvendo em sua embaraçosa unanimidade todos os rótulos e categorias.

A votação de Pedro é sensata, ordenada e ordeira, mas nada realmente produz; o derramamento do espírito é loucura e vento e ruído e caos e, nisto, todos se entendem e todos serão transformados.

De um universo de muitos, a eleição de Pedro peneira dois e premia finalmente um. O espírito escolhe todos e sobre todos reparte a sua honra.

A votação de Pedro é manobra de exclusão, enquanto o sopro do espírito é abraço todo-inclusivo; mesmo os “de fora” são inequivocamente tocados pelo milagre (”ouvimos falar das grandezas de Deus em nossas próprias línguas”), e num instante estarão incluídos nele.

Impossível não ver, em toda essa subversão, a marca distintiva do homem de Nazaré. Pode ser possível perder Jesus de vista no livro de Atos, mas este definitivamente não é o momento. Jesus dissera que teria de partir para que seu espírito viesse; garantira que não deixaria os discípulos orfãos; assegurara que todas as nações veriam a sua glória. Eram promessas grandes e tremendas, mas seu plano se mostrara ainda mais arrojado.

Pois o que testemunhamos neste dia de Pentecostes é nada menos, senhoras e senhores, do que a volta de Cristo.

Jesus dissera que a sua vinda seria vista num instante do oriente ao ocidente, e aqui estão todos – da Pártia, da Pérsia, de Elã, residentes na Mesopotâmia, na Judéia, na Capadócia, em Ponto e na província da Ásia, na Frígia, na Panfília, no Egito e nos distritos da Líbia ao redor da cidade de Cirene, romanos residentes, tanto judeus de nascimento quanto convertidos ao judaísmo, de Creta e da Arábia – sendo tocados por ele e contemplando sem intermediários o seu esplendor.

É por isso que Jesus insistia ser necessário que ele fosse, isto é, não permanecesse neste mundo fazendo no nosso lugar o que não éramos capazes de fazer; era por isso que ele assegurava que seus discípulos fariam maravilhas maiores do que as que ele havia feito. Era esta sua promessa, era este o seu plano. Não devemos olhar para o céu aguardando a volta de Cristo, porque o Pentecostes explica-nos sem rodeios que ele voltou imediatamente. A volta de Cristo somos nós.
Por Paulo Brabo

AS CASAS E AS VERDADES - por ED RENÉ KIVITZ




Este texto é do pastor da Igreja Batista da Água Branca, Ed René Kivitz, e foi publicado no site Cristianismo Hoje - http://www.cristianismohoje.com.br/retrancas/As%20casas%20e%20as%20verdades/33671. Muito instrutivo.




Era uma manhã ensolarada e a caminhada já se estendia. A cidade estava logo ali. Antes da chegada, a fome. E depois da fome, uma figueira. Jesus se aproxima da planta esperando colher algum fruto. Mas encontrou apenas folhas. Não teve dó nem piedade – amaldiçoou a figueira, e deixou seus discípulos assombrados. Depois deu uma bronca em todo mundo e vaticinou: quem tiver fé, ainda que do tamanho de um grão de mostarda, vai mandar esse monte sair do lugar e ele vai obedecer. No meio dessa coisa toda, Jesus ainda encontra tempo para, literalmente, chutar o balde dos comerciantes do templo, que haviam transformado a casa do Pai em covil de ladrões.
O que uma cidade, uma figueira, um monte, um templo e a fé estão fazendo juntos nesta cena? Aliás, observe. Caso não tenha percebido, eles estão juntos. Não são episódios estanques, separados: o da figueira, o do templo e o aforismo sobre a fé. São peças de um quebra-cabeças que, montadas, deixam claro como o sol do meio-dia o que Jesus estava querendo dizer. Já, já, a gente chega lá. Mas quero contar outra história.
Certa ocasião, Cristo se deparou com um homem dominado por espíritos malignos. “Legião”, disseram, ao responder qual era seu nome. Diante do Filho do Deus Altíssimo, os demônios pediram que Jesus os deixasse entrar nos porcos, perto de dois mil. Jesus consentiu. Em seguida, os porcos se lançaram ao lago de Genezaré e se afogaram. O pessoal da região ficou louco da vida com Jesus e pediu que ele fosse embora daquele lugar.
Não tenho dúvidas de que você já ouviu e leu centenas de meditações baseadas nestes dois episódios da caminhada de Jesus com seus discípulos. Provavelmente, alguém já disse que seus problemas são como aquele monte citado pelo Mestre, e que podem ser superados pela fé. Não importam quais sejam seus embaraços, seus problemas, suas angústias e as razões do seu sofrimento; basta ter fé. Afinal, a fé remove montanhas, isto é, com fé a gente vence qualquer dificuldade. Também deve ter ouvido a respeito da autoridade de Jesus sobre os espíritos malignos, o que é absolutamente verdadeiro. E não é pouca autoridade, não. O Senhor deu conta de expulsar dois mil demônios de um homem de uma vez só. Eles fizeram fila e saíram um de cada vez. Então, imagine o que Cristo não é capaz de fazer com um demoniozinho tupiniquim! Principalmente, no palco de uma igreja evangélica. Com base na história do gadareno e sob a intercessão das mãos estendidas dos fiéis, os pastores se enchem de coragem e repetem sua fórmula infalível: “Sai desse corpo que não te pertence”.
Será que estes episódios se prestam apenas a ensinar a respeito do poder da fé para vencer dificuldades na vida e acerca da autoridade de Jesus sobre o diabo e seus asseclas? Ou haveria algo mais nas entrelinhas das narrativas? Fico com a segunda alternativa: os Evangelhos – decerto, a Bíblia toda – contêm linguagem cifrada, códigos secretos que comunicam verdades profundas, perfeitamente percebidas pelos circunstantes, porém raramente alcançadas pelos leitores contemporâneos. Mas, e a figueira, a cidade, o templo? O que fazer com essas figuras? Vamos lá.
Primeiro, o caso da figueira. Sabemos que essa árvore é um símbolo que identifica a nação de Israel. Assim também a cidade, o templo, e o monte. A cidade é Jerusalém, onde está o Templo de Salomão, no monte Sião. Jesus faz a limpa, cumprindo a profecia de Malaquias – “Logo virá ao seu templo o Senhor, a quem vós buscais” – e a de Zacarias: “E, naquele dia, não haverá mais mercadores na casa do Senhor dos exércitos”.
Jesus deixa claro que Israel é uma figueira estéril, sem frutos, o que é demonstrado pela profanação do Templo e deturpação de sua religião. A nação é amaldiçoada; Sião deixará de ser o centro da revelação de Deus e Israel será preterida por um povo com quem Deus celebrará uma nova aliança – em Jesus, e não mais em Moisés: “É evidente que pela lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá da fé”.
A fé que remove montanha não é a fé individual, aquela porção de fé de cada crente, mas coletiva, do povo da nova aliança:
“Mas a Escritura encerrou tudo debaixo do pecado, para que a promessa pela fé em Jesus Cristo fosse dada aos crentes. Mas, antes que a fé viesse, estávamos guardados debaixo da lei, e encerrados para aquela fé que se havia de manifestar. De maneira que a lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, para que pela fé fôssemos justificados. Mas, depois que veio a fé, já não estamos debaixo de aio. Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus. Sabei, pois, que os que são da fé são filhos de Abraão”.
O monte removido pela fé não é a dificuldade particular de cada crente, mas Sião, o monte santo, que não se abala – ou melhor, não se abalava, até que Israel rejeitou o Messias, que conforme a Escritura, veio para os seus, mas não foi recebido por eles. Em Cristo, a Igreja – o povo da fé – recebe todos os títulos que pertenciam a Israel: “Geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo adquirido”.
A fé remove o Monte Sião. Portanto, da próxima vez que alguém lhe disser que a fé remove montanhas, diga que já removeu. Sião não é mais o que era. A figueira secou. E nasceu a Igreja, povo de Deus, povo da fé.
A mesma coisa acontece com a história do endemoninhado gadareno. Os espíritos imundos chamam a si mesmos de Legião, numa clara e explícita referência ao poderio militar romano. Assim como os opressores egípcios se afogaram no Mar Vermelho, quando com mão forte Yahweh libertou Israel pelas mãos de Moisés, também os opressores romanos estavam se afogando no Mar da Galiléia, sob as ordens daquele que ousou pronunciar “ouvistes o que foi dito por Moisés; eu, o Messias, porém, vos digo”.
Da próxima vez que alguém lhe disser que Jesus é maior que os demônios, concorde. Mas acrescente – ele é também maior que Moisés. E maior que o Egito, a Babilônia, a Pérsia. É também maior que Roma. Maior que os espíritos malignos que agem nas entranhas do mundo, que jaz no maligno. E, porque maior que tudo e todos, é Senhor e libertador, aqui e agora, ali e além; Rei de um reino que não terá fim.
Assim como uma casa se faz com tijolos, mas uma pilha de tijolos não é uma casa, também uma verdade cristã se faz com versículos – mas um amontoado de versículos não equivale necessariamente a uma verdade bíblica. Uma casa é resultado de um processo inteligente de ordenação harmoniosa de tijolos, todos agrupados conforme determinado projeto. Assim também, a verdade do Evangelho possui sua lógica. Fora dessa lógica intrínseca, versículos não passam de tijolos.